A evolucao da camera dos smartphones

A evolução da câmera dos smartphones

Hoje é muito comum fazer fotos de boa qualidade com o smartphone, mas você lembra como o celular substituiu a câmera mesma?

Hoje em dia é difícil imaginar um smartphone sem câmera, não é mesmo? Em muitos casos, ela é o item principal na escolha de um novo aparelho. De resoluções pífias até chegar aos 40 megapixels, as câmeras dos gadgets percorreram um longo caminho. Neste post, confira como elas evoluíram com o tempo.

História

Na virada do milênio, a ideia de ter um celular capaz de tirar fotos não agradava muito as pessoas. Assim como toda a tecnologia inovadora, o seu uso era visto como inútil, já que as câmeras digitais portáteis começavam a fazer grande sucesso.

Isso foi começando a mudar por volta de 2002, quando algumas das maiores fabricantes de celulares do mundo resolveram apostar de vez na tecnologia. Você provavelmente não deve se lembrar, mas a câmera para celular inicialmente começou a ser vendida como um acessório extra, algumas bem avançadas para época, até mesmo com flash.

A Motorola, a Siemens e a Sony Ericsson eram algumas das marcas que tinham modelos compatíveis com câmeras acopladas. A resolução não era a das melhores, 640×480 pixels, mas não esqueça que estamos falando de 2002.

Os primeiros

Tendo em vista o aumento da procura de celulares que fossem compatíveis com câmeras, outras empresas desenvolveram uma tecnologia capaz de embutir a lente e o sensor na construção do aparelho, sem a necessidade de um equipamento adicional.

A primeira empresa a construir um celular com câmera embutida foi a Samsung. O modelo SCH-V200 foi comercializado apenas na Coreia do Sul e tinha ‘incríveis’ 0,35 megapixels e uma tela de 1,5 polegadas. Ele era capaz de armazenar até 20 fotos e para visualizar as imagens era preciso conectá-lo em um computador.

Outra empresa pioneira no desenvolvimento de celulares com câmeras foi a Sharp. O modelo J-SH04, comercializado no Japão pela J-Phone, apesar de ter menos resolução do que o SCH-V200 (apenas 0,11 megapixels) tinha uma vantagem: não era necessário conectar o aparelho em um computador para visualizar as fotos.

Mas o modelo que fez crescer o interesse do ocidente por celulares com câmeras foi o Sanyo SCP-5300. Vendido nos EUA pela Sprint, ele tinha a capacidade de tirar fotos em 0,3 megapixels e adicionava uma série de recursos, como controle de branco, temporizador, zoom digital e até mesmo filtros como sépia, preto e branco, e negativo – ou você pensava que o Instagram que tinha inventado?

Evolução

Conforme os anos se passaram, o interesse pelas câmeras em celulares foi aumentando e a tecnologia foi evoluindo. Em 2004, a Sprint lançou o Audiovox PM8920, aparelho que inseriu uma série de novidades que foram copiadas por outras fabricantes. A começar pela resolução de 1,3 megapixels, que permitia que a impressão em papel da foto ficasse razoavelmente satisfatória. Ele também vinha com um botão dedicado para acionamento rápido da câmera e capacidade para tirar até oito fotos em sequência automática.

A Nokia também percebeu a importância das câmeras nos celulares e investiu pesado em aparelhos com a tecnologia. A empresa finlandesa foi responsável por um salto de qualidade nas imagens tiradas pelos celulares, introduzindo uma maior resolução e novidades como autofoco e flash. O N90 pode ser considerado o primeiro aparelho construído exclusivamente para fotos e vídeos. Além da possibilidade de girá-lo por completo, ele tinha 2 megapixels de resolução, lente Carl Zeiss e flash de LED.

A Sony, que hoje em dia patina para se manter no mercado de smartphones, fez bastante sucesso em meados de 2006 com sua linha de aparelhos dedicados para fotos. A empresa levou o seu conhecimento em câmeras digitais para os celulares e adicionou recursos interessantes em seus aparelhos. O modelo K800i tinha 3.2 megapixels, estabilização de imagem e um potente flash de xênon.

Corrida em busca de qualidade

A partir de 2007, foi dada a largada para a corrida em busca de fotos e vídeos com melhores qualidades. Os primeiros aparelhos com 5 megapixels começavam a aparecer, como o Nokia N95, que a época foi considerado com um dos melhores gadgets para tirar fotos e fazer vídeos e fez bastante sucesso, inclusive no Brasil.

O iPhone, que também foi lançado em 2007, curiosamente não agregou grandes inovações em relação as imagens capturadas pelos smartphones. O primeiro modelo tinha apenas 2 megapixels, não gravava vídeos e não tinha flash. No entanto, a grande contribuição do iPhone para as câmeras foi a construção de um aparelho mais fino e menos robusto, o que, posteriormente, se tornou padrão na indústria.

A partir de 2008, vários aparelhos com resoluções cada vez maiores começaram a surgir. Com 8 megapixels, o Samsung i8510, o Nokia N86 e o LG Renoir. Com 12 megapixels, o Samsung M8910 Pixon12 e o Nokia N8. E com 16 megapixels, o Sony Ericsson S006.

Os softwares também evoluíram. Com o poder de processamento cada vez maior dos aparelhos, várias fabricantes foram adicionando mais recursos, como fotos panorâmicas, vídeos em slow motion, novos filtros e edição.

Atualmente

Hoje, as câmeras dos smartphones evoluíram de uma forma que até o mais entusiasta dos usuários não conseguiria imaginar. Aparelhos mais modernos podem até mesmo gravar em vídeos em 4K, como o Samsung Galaxy S5, e possuem foco a laser, como o LG G3.

As resoluções também aumentaram consideravelmente, com aparelhos com 20 megapixels, como o Sony Z3, custando por volta de R$ 2 mil. Mas o campeão em resolução, e considerado por muitos como o melhor smartphone para fotos, é o Nokia Lumia 1020, com os seus assustadores 41 megapixels.

Dicas rápidas para tirar boas fotos com o smartphone

Iluminação: fique atento para a luz ambiente. Tirar foto em lugares com pouca luz natural pode ocasionar imagens granuladas e com pouca nitidez.

Flash: a luz do flash pode fazer com que a imagem perca um pouco de naturalidade e muitas vezes “estourar” a foto (quando ela fica com excesso de branco). Por isso, sempre dê preferência à luz natural.

Zoom: evite utilizar o zoom digital dos smartphones. Se possível, aproxime-se para capturar boas imagens.

Foco: tenha em mente o que você quer dar destaque na foto. Escolha um lugar e clique duas vezes para ajustar o foco.

Aplicativos: se você quer explorar ao máximo a câmera do smartphone, alguns aplicativos podem te ajudar. Para ajustes automáticos, você pode optar pelo Retrica ou Instagram. Agora para ajustes profissionais, tente usar o Câmera FV-5.