oglobo

A infraestrutura da internet Brasil

A Internet no Brasil cresce a passos largos. Este ano, o avanço das conexões de banda larga deverá exceder 50% sobre 2010, e mais de 20 milhões de famílias da classe C se unirão à rede em 2012.

A Internet no Brasil cresce a passos largos. Este ano, o avanço das conexões de banda larga deverá exceder 50% sobre 2010, e mais de 20 milhões de famílias da classe C se unirão à rede em 2012.

Porém, é importante ressaltar os desafios que qualquer empresa de TI enfrenta hoje com a infraestrutura da internet no país. Os milhões de links vendidos pelos provedores de acesso à grande rede no Brasil deixam a desejar quando comparados aos mesmos serviços nos EUA e na Europa. Aqui não temos um critério de QoS (Qualidade de Serviço) imposto pelos órgãos governamentais, e, dessa forma, o consumidor não tem muitos recursos quando a rede está fora do ar, por exemplo. Nos EUA, consumidores podem consultar sites governamentais para comparar preço e QoS dos seus provedores e relatar qualquer falha, fazendo com que as empresas melhorem seus serviços.

O mesmo acontece com as empresas de TI que vendem serviços aos consumidores brasileiros. O primeiro desafio são os serviços de hospedagem. Não existem métricas de qualidade desses serviços, e os contratos no Brasil possuem garantias de qualidade de serviço (SLAs) ainda muito aquém dos padrões nos EUA e na Europa. Custa de cinco a dez vezes mais caro hospedar um site no Brasil. Como consequência, as startups on-line têm dificuldade em proporcionar serviços com alto padrão de qualidade e acabam optando por hospedar seus sites no exterior, onerando o consumidor final em termos de acesso e resposta do site.

O segundo desafio tem a ver com os links de banda larga. O custo para uma empresa de 100Mbps de banda, no Brasil, varia entre dez e 30 vezes o custo da mesma banda nos EUA, dependendo do provedor e do volume de banda contratada. Mas o preço “premium” não inclui a mesma qualidade de serviço, e por isso empresas contratam banda de múltiplos provedores — revendida pelas empresas de hospedagem — para que possam dispor de redundância em seus links.

Com o tempo e o aumento na competitividade entre as empresas que estão ingressando na arena de provedores de serviços no Brasil, tanto de hospedagem quanto de banda larga, estes desafios de infraestrutura deverão ser superados, mas hoje nos encontramos em um nível de custo e qualidade de serviço de infraestrutura equivalente ao de pelo menos dez anos atrás dos EUA e da Europa, o que significa uma imensa oportunidade para as empresas desse setor.