redes-sociais

A nova relação entre a tecnologia e o mundo acadêmico

Com o amadurecimento social e a tecnologia mais avançada tornou-se normal ter redes sociais para auxiliarem o mundo acadêmico

Especialistas afirmam que atualmente o uso das redes sociais no meio acadêmico está totalmente aceitável, ao contrário do que acontecia há alguns anos. Segundo eles, com o amadurecimento da sociedade, o uso destas redes mudou, pois observou-se claramente sua importância em atividades como estudos e movimentos sociais. A rede, agora, não é mais o fim, e sim o meio, com um objetivo.

Veja também:

As redes sociais, capazes de articular as interações interpessoais e permitir contato com as mais diversas fontes, vêm sendo usadas pelos acadêmicos por abranger várias mídias (áudio, vídeo e escrita) e ter a capacidade de atingir um grande público em pouco tempo.

Quem convive ou faz parte do mundo acadêmico sabe da dificuldade em conseguir emplacar um artigo em publicações científicas. Além do número limitado de periódicos, os pesquisadores ainda precisam se adequar a seus cronogramas de publicação. Foi justamente com a missão de acelerar o mundo da pesquisa que a plataforma Academia.edu foi criada em 2008 e é muito utilizada até hoje.

Para conseguir tamanho alcance, inclusive entre pesquisadores brasileiros, a plataforma aposta em quatro eixos principais. O primeiro deles é a “distribuição instantânea”. Ou seja, depois da criação do perfil na plataforma, a submissão do trabalho pelo usuário pode ser feita no instante posterior e, logo em seguida, o trabalho já estará indexado no portal. Outro diferencial é permitir o acesso aberto para consulta a todos os arquivos presentes na plataforma. Também é possível baixar os documentos em PDF, trocar mensagens e fazer comentários.

Outra vantagem é aproveitada por estudantes de pós-graduações ou professores com menor experiência universitária, já que nem sempre é fácil saber o nível de impacto de seus trabalhos desenvolvidos durante ou ao final dos cursos acadêmicos. É aí que surge a Analytics, o quarto eixo. A partir dela, é possível ter acesso à quantidade de usuários que visualizou o perfil do pesquisador cadastrado no portal e a audiência dos papers.