rp_smartphone-saude_2014-11-20.jpg

Aplicativos facilitam a vida de pacientes crônicos

Conheça o Uber. Serviço de transporte que está causando polêmicas e é acusado de ser transporte ilegal.

Quem tem alguma doença crônica sabe que não é fácil administrar tal condição. É preciso ser regrado e não esquecer as responsabilidades que o problema exige. É por isso que alguns aplicativos surgem na tentativa de facilitar a vida de quem se trata de alguma doença. E agora quem vai entrar de cabeça nesta área é Stephanie Tilenius, ex-executiva do Google e do eBay. Ela desenvolveu o app Vida, que tem o objetivo de ajudar pacientes a se manterem saudáveis, a reduzirem o nível de estresse e a perderem peso com a ajuda de “treinadores da saúde”.

Tilenius disse que começou a startup depois de testemunhar seu pai lutando com problemas de saúde, enquanto as ferramentas tradicionais existentes eram muito caras. Por US$ 15 por semana, promete ela, os pacientes podem fazer perguntas e receber lembretes de medicação e conselhos de saúde da equipe de treinadores do Vida, que inclui enfermeiros, assistentes, nutricionistas e médicos.

O Vida está disponível no sistema operacional da Apple iOS 8 nos Estados Unidos, mas será lançado para Android nos próximos meses. O app também oferece um banco de dados de ensaios clínicos e programas de prevenção de doenças para os usuários. Um deles é o programa de tratamento para diabéticos e pessoas em risco de contrair a doença.

Aplicativo já está em hospitais

O Vida já firmou parceria com os principais hospitais dos Estados Unidos, como o MD Anderson Cancer Center e o Hospital da Universidade de Duke. Ambos usam o aplicativo para fornecer cuidados para doentes crônicos à distância.

O aplicativo levantou recentemente US$ 5 milhões em financiamento de empresas de risco Khosla Ventures, Aspect Ventures e Signia Venture Partners, além de ter contado com ajuda de pessoas como o cofundador do Yahoo, Jerry Yang.

Outros aplicativos que auxiliam pacientes

Enquanto o Vida não chega por aqui, usuários já contam com alguns aplicativos que tentam melhorar sua rotina de paciente. Confira.

GlicOnLine

aplicativo disponível para celulares Android, foi desenvolvido no Brasil e permite ao diabético armazenar dados de índices de glicose e receber alertas sobre horários de medicamentos.

Bebê São Luiz

este aplicativo está disponível para iPad e permite que mulheres registrem a evolução da gravidez e tenham informação médica sobre o assunto.

Tecnonutri

Disponível para Android, o app ajuda a controlar processos de reeducação alimentar.

UnitCare 

Empresa brasileira desenvolveu sistema em parceria com UFRGS que permite monitorar remotamente, por celular ou tablet, sinais vitais como ritmo cardíaco, pressão arterial e índice de glicose.