As empresas de tecnologia incubadas

As empresas de tecnologia incubadas do Rio e seus empreendedores

Você sabe como funciona uma incubadora de empresas? Dela saem várias startups.

A tecnologia está possibilitando o surgimento de inúmeras empresas a cada dia. Muitas, porém, acabam morrendo pelo caminho por não conseguirem o devido apoio. Neste campo, as incubadoras, que praticamente adotam as ideias inovadoras, tornam-se fundamentais para o desenvolvimento tecnológico do país. Listamos algumas das principais startups incubadas do Rio de Janeiro.

Veja também: 10 livros para quem quer abrir uma startup

PROMEC

A PROMEC tem o objetivo de prover soluções técnicas de engenharia via simulação numérica direcionadas para o setor industrial. A startup, incubada na COPPE/UFRJ, busca contribuir para a difusão do conhecimento científico desenvolvido em universidades e centros de pesquisa em diversos segmentos industriais do país.

A startup é formada por uma equipe de engenheiros e analistas de sistemas, com formação acadêmica na COPPE e no LNCC/MCT que estão entre as principais instituições de pesquisa em engenharia do país. Além disso, conta com a experiência profissional adquirida em importantes empresas de projeto de engenharia, credenciadas à PROMEC na prestação de serviços em simulação e análise numérica.

A empresa é comandada pelos sócios-diretores Carlos Eduardo da Silva, engenheiro civil, e Leandro Carlos Gazoni, analista de sistemas.

TWIST

A TWIST, mais uma empresa incubada na COPPE/UFRJ, traz soluções elaboradas no maior laboratório do mundo (CERN) para o mercado. A missão do grupo e´ oferecer acesso a informações independente da localização, formato e tecnologias de armazenamento.

Integração de sistemas é fundamental na filosofia da TWIST: expansão empresarial, terceirização de serviços, logística, contabilidade e fusões.

A TWIST é composta por cinco sócios formados na Universidade Federal do Rio de Janeiro no curso de Engenharia Eletrônica e de Computação: Felipe Grael, Andressa Sivolella, Fernando Ferreira, Luiz Évora e Laura Moraes.  Todos possuem experiência internacional, com participações na colaboração ATLAS/CERN – Brasil, onde começaram a trabalhar juntos.

Vidya

A Vidya Tecnologia da Corrosão, incubada na COPPE/UFRJ, é uma empresa especializada em serviços de monitoração da corrosão em plantas industriais, com foco na integridade de equipamentos e unidades.

A proposta compreende desde a análise dos sistemas e seus problemas de corrosão, incluindo a instalação de cupons, sondas e equipamentos de monitoração, a Engenharia da Corrosão, que trata os dados obtidos e, através do especialista em corrosão, fornece ao cliente informações mais precisas sobre os processos corrosivos e as medidas de prevenção e controle.

O produto final da empresa é a informação sobre processos corrosivos em equipamentos, dutos e unidades industriais para tomada de decisões mais precisas, reduzindo custos e riscos operacionais.

A Vidya é comandada pelo diretor-executivo Jorge Luiz Seleme Mariano. Ele é formado em Engenharia Civil pela UNICENP, é técnico em Eletrotécnica pela UTFPR, e mestrando em Engenharia Metalúrgica e de Materiais pela COPPE/UFRJ.

Licsan

A Licsan, incubada no Phoenix, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) é uma empresa que nasceu a partir da ideia de universitários inovadores, desbravando o potencial das novas tecnologias na educação e entretenimento.

A partir de parcerias com instituições de ensino, centros de pesquisa e entidades culturais, surgiu a oportunidade de desenvolver soluções mais orgânicas, que levem na sua origem a identidade do seu público, com uma visão transversal das diversas áreas do conhecimento.

A empresa promove simuladores para o ensino de ciências, treinamento corporativo, e desenvolve aplicativos e jogos para entretenimento e publicidade.

Os trabalhos são comandados pelo diretor-administrativo Adriano F. Silva. Ele é responsável pela coordenação da equipe, elaboração de documentação, avaliação de qualidade e estratégia de ação.

Martinica

A Martinica é uma empresa de mobilização digital voltada para estratégia e engajamento entre marcas, pessoas e propósitos. Ela está incubada no Rio Criativo, projeto do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Criada em 2009, a startup tem como objetivo antecipar tendências, criar ações colaborativas, difundir a cultura participativa e entregar conhecimento, na rede com análises precisas, ágeis e mensuráveis para diferentes setores.

Outra função é desenvolver estratégias e conteúdos digitais relevantes, com monitoramento constante dos comportamentos disseminados para a apresentação de resultados com foco no retorno sobre o investimento.

A empresa é comandada pela diretora-executiva Paula Martini (foto), jornalista com MBA em Gestão Cultural e pós-graduação em Gestão Estratégica de Marketing Digital. Por seis anos foi pesquisadora e professora de um dos principais think-tanks internacionais em tecnologia e cultura, o Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV, na área de novos modelos de negócio e canais de distribuição para a cultura. Atuou nos projetos Creative Commons, Cultura Livre e Local Contexts Global Commons, e na produção de filmes e eventos da grande indústria.

mobCONTENT

A mobCONTENT é uma empresa focada no desenvolvimento de produtos, projetos e formatos narrativos transmidiáticos. Os projetos desenvolvidos, necessariamente, têm uma abordagem inovadora sobre assuntos tradicionais ou uma abordagem tradicional sobre um assunto inovador. Estas visões buscam gerar novas experiências do usuário com o produto audiovisual, criando uma nova proposta de valor.

A natureza dos projetos desenvolvidos pela empresa tem, em seu DNA, a exploração de novas tecnologias como Realidade Aumentada, Captura de Movimentos e Robótica. Com o uso dessas ferramentas o aspecto narrativo é potencializado.

Em relação a projetos de abordagens mais tradicionais, o objetivo das produções é sempre o de desmistificar temas que ainda não são conhecidos pelo público em geral, mas que geram um grande impacto socioeconômico em escala nacional e global.

A companhia é tocada por Marcos Ferreira (foto), sócio-diretor e produtor-executivo. Formado em Rádio e TV pela UFRJ, criou, em 2001, uma das principais WebTVs universitárias do país, a TVUFRJ, que até hoje está em atividade e que é referência em audiovisual no Rio.