rp_brasileiros-redes-sociais_2014-06-30.jpg

Entenda o comportamento do brasileiro nas redes sociais

Saiba quais os apps mais utilizados por nós, indo da paquera até o bullying. Aprenda, também, onde denunciar ofensas cibernéticas.

Realmente é uma grande verdade quando dizem que certas pessoas não saem da frente do monitor do computador para nada. “Parece que moram lá”, na linguagem popular. Pode soar como um exagero, mas não é. Hoje você vai a banco, faz compras e chamadas telefônicas, bate-papo e até paquera, tudo pela internet. Ué, mas a paquera não precisa ter pessoas no mínimo se olhando? Não necessariamente.

Os brasileiros e o uso das redes sociais

A internet aproxima pessoas e também une casais. Os aplicativos de paquera hoje são os grande responsáveis por formar casais e viraram febre no país. Conheça alguns apps favoritos que têm sido um verdadeiro Cupido para muita gente:

Badoo: conhecido por muitos como uma rede social, o Badoo foi o pioneiro no assunto paquera virtual com 200 milhões de cadastros.  É uma das maiores ferramentas de paquera na internet.

Tinder: aplicativo de paquera onde você pode fazer sua opção sexual e encontrar pessoas ao redor de sua localização. O Tinder utiliza o Facebook como ferramenta para alimentar a paquera e ainda busca na rede social coisas em comum para que você se interesse para iniciar uma conversa.

Grindr: é um app destinado a homens que buscam relacionamentos com outros homens. O aplicativo aponta quais pessoas dentro do mesmo perfil estão próximas a você.

Brenda: é a versão feminina do “Grindr”. Oferece a opção de chat com pessoas com interesses em comum e garante que sua identidade não será revelada.

WeChat: à primeira vista lembra bastante o WhatsApp, principalmente porque possui opção para mensagens de voz e texto. Mas a ideia do aplicativo é formar grupos de amigos, levando-os a conversar de maneira reservada e incentivando os relacionamentos.

Bullying

Mas tudo que é usado para o entretenimento, quando mal utilizado pode ser uma ferramenta danosa para outros. Xingamentos, provocações e ofensa moral são atitudes que representam o ‘bullying virtual’.

Infelizmente algumas pessoas utilizam a internet, onde se acredita que não haja lei ou ordem, para atingir pessoas de tal forma que as levam a cometer atos impensados. Já tivemos no Brasil casos de pessoas que, depois de terem suas vidas atormentadas por criminosos virtuais, entraram em quadro de depressão profunda e cometeram suicídio.

Há ainda casos de utilização das redes sociais para exposição de fotos e vídeos íntimos de relacionamentos amorosos que chegaram ao fim. Em todas as situações, a melhor arma é a denúncia. Crimes de ‘bullying virtual’ podem ser denunciados à Delegacia de Crimes Digitais. 

Onde denunciar crimes de internet

Delegacias de Crimes Eletrônicos

São Paulo

Dúvidas e notícias de crimes podem ser feitas pelo e-mail: 4dp.dig.deic@policiacivil.sp.gov.br.

Telefone 11 2221-7030.

Endereço: Av. Zaki Narchi, 152 – Carandiru – São Paulo/SP.

Rio de Janeiro

DRCI-Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática
Endereço: Rua da Relação, 42, 8º andar, Centro – Rio de Janeiro (RJ). Telefone 21 3399 – 3201/ 3399 – 3202

Belo Horizonte

DEICC-Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos. Endereço: Av. Nossa Senhora de Fátima, 2855 – Bairro Carlos Prates – Belo Horizonte/MG. Telefone: 31 3201-7584

Brasília

Divisão de crimes de Alta tecnologia – DICAT, Brasília (DF).

Endereço: Setor Áreas Isoladas Sudoeste, Bloco D – Brasília (DF).

Telefone: 61 3462-9531