Cibercrime

Cibercrime acontece também nas compras em loja

Cresce em 2014 o número de cibercrimes tanto em compras online quanto em terminais eletrônicos.

A fabricante francesa de equipamentos de rede Motive Security Labs (MSL) informou que em 2014 aumentou o número de ataques e ameaças a infraestruturas de telecomunicações e dispositivos móveis e fixos. A unidade da Alcatel-Lucent referiu que os ataques por malware, ou software malicioso, visaram a “espionagem corporativa ou pessoal, roubo de informação, ataques de ‘denial of servisse’ a empresas ou governos, e esquemas de phishing relacionados a serviços bancários”.

O estudo também mostra que os consumidores que se abstêm de comprar artigos online por receio de colocar os dados dos seus cartões de crédito ou de débito na esfera virtual não estão imunes ao cibercrime. A investigação dos Motive Security Labs demonstrou que, em 2014, um grande número de quebras de segurança na internet foram, na verdade, causadas por malware presente em caixas registradoras ou em terminais POS (máquina de cartão).

O relatório dos MSL, que analisou todas as plataformas móveis mais populares, revela que no ano passado registrou-se um aumento de 25% dos casos de infecção por malware, contra 20% observado em 2013.