Cinco questões de segurança digital que serão debatidas em 2015

Autenticação de dois fatores, captcha, nuvem, smartphones e internet das coisas. O que vai bombar neste ano

A segurança digital é um assunto cada vez mais importante, visto que estamos guardando os mais diferentes tipos de informações em diversos tipos gadgets e também na nuvem. Por isso, é sempre bom manter-se atualizado com o que acontece na área, para ter conhecimento das formas de prevenção contra invasões ou roubo de dados. Confira algumas das principais questões que estão sendo debatidas na área e que podem auxiliar o usuário a lidar melhor com a proteção de suas informações e arquivos.

Autenticação de dois fatores

Antes considerada como a melhor forma de manter contas online segura, a verificação de duas etapas, processo que envia um código de acesso para o smartphone ou token toda vez que o login precisar ser feito, foi burlado. Um usuário do Instagram relatou que mesmo utilizando o método teve sua conta hackeada. Esta brecha pode abrir portas para que os serviços que precisam de login, de games online a redes sociais, repensem outros métodos para garantir a segurança de seus usuários.

CAPTCHA

Digitar aqueles caracteres quase ilegíveis para se cadastrar em serviços online é, em quase todos os casos, uma tarefa árdua e estressante. No entanto, isto pode estar próximo de acabar. Depois de conseguir que um computador burlasse o sistema, o Google desenvolveu um novo método. Chamado de NoCAPTCHA reCAPTCHA, a nova forma de autenticação permite que o usuário possa ir para a próxima etapa apenas clicando em "não sou um robô". Caso o clique seja errado, ele será levado a uma verificação mais aprofundada, que utiliza imagens em sequência e até mesmo pequenos puzzles para identificar que o usuário é de fato humano e não um bot.

Nuvem

O ano de 2014 foi marcado por escândalos envolvendo serviços de cloud computing. A começar por uma série de fotos íntimas de celebridades vazadas do iCloud, da Apple. Além disso, senhas de contas do Dropbox foram divulgadas afetando milhões de usuários. Em 2015, aplicativos como o BoxCryptor devem se tornar cada vez mais populares. O programa permite criptografar todos os arquivos que forem adicionados nos serviços de nuvem e, assim, mantê-los inelegíveis para quem não souber a senha de acesso do próprio arquivo.

Smartphones

Já existem mais celulares do que pessoas no mundo. Eles já são extensão das nossas vidas e é pelos smartphones que muita gente paga contas e acessa dados bancários. Por esse motivo, os hackers estão direcionando cada vez mais esforços para desenvolver vírus para os dispositivos móveis. Softwares de segurança mobile, como o PSafe Total, que protege o smartphone contra o roubo de dados e arquivos maliciosos, se tornarão cada vez mais importantes e essenciais.

Internet das coisas

Ligar a luz ou abrir a porta utilizando o smartphone já é realidade e será mais comum nos próximos anos. A segurança pode ser um impasse para a popularização da automação residencial. Um estudo da Fortify, braço de segurança digital da HP, constatou que 70% dos aparelhos conectados compatíveis com a Internet das Coisas apresentam algum tipo de vulnerabilidade. À medida que mais pessoas adotem estas tecnologias em suas casas, hackers mal intencionados poderão desenvolver formas para explorar essas brechas.