rp_meninas-velasquez_2014-08-28.jpg

Cultura online: museus e seus acervos imperdíveis

Principais museus do mundo disponibilizam visitas virtuais e acervos digitalizados. Veja como visitar

Principais museus do mundo disponibilizam visitas virtuais e acervos digitalizados

Internautas que são amantes da arte, mas não têm disponibilidade para visitar todos os lugares que gostariam, contam com a ajuda de alguns museus que permitem visitas virtuais. O projeto mais recente do Tate Britain, em Londres, permitiu passeios noturnos, controlando um robô. A ideia surgiu de um grupo de jovens designers que conquistaram um concurso de inovação digital.

O trio recebeu cerca de R$ 230 mil para financiar o projeto que eles chamaram de “After Dark”. Durante uma semana do mês de agosto, os internautas puderam guiar quatro robôs, que estavam com câmeras instaladas para visitar as galerias do museu durante a madrugada, período em que o local permanece vazio. Sensores também foram instalados para evitar que os robôs se chocassem com paredes e obras.

A iniciativa dos jovens, porém, não é uma novidade. Aqui no Brasil há uma experiência parecida e bastante interessante através do projeto Era Virtual. Não há robôs envolvidos, mas o internauta pode fazer visitas virtuais através de fotos em 360º e áudio de um guia que vai passeando pelos salões e galerias de 24 museus do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Maranhão e Goiás. Ao clicar nas obras, a imagem é ampliada.

Alguns dos mais famosos e visitados, como o Louvre, em Paris, na França, o British Museum, em Londres, no Reino Unido, e o Museu Americano de História Natural, em Nova York, nos Estados Unidos, permitem que o internauta acesse o acervo digitalizado. Não existe um tour virtual, mas há inclusive vídeos em áudios disponíveis nas línguas nativas, explicando sobre as exposições e o acervo. Ver obras clássicas em um monitor jamais irá replicar a experiência real da textura, tamanho e cor de obras de artistas como Pablo Picasso ou Rembrandt, mas pode ser um instrumento bastante interessante.

Abaixo listamos 10 sites de museus que disponibilizam seu acervo digitalizado ou visitas virtuais:

  • Museu do Louvre – Site do icônico museu parisiense. Destaque para o material especial sobre a Monalisa, de Pablo Picasso.
  • Tate Britain – O projeto “After Dark” durou pouco tempo, mas o museu londrino disponibiliza 70 mil obras digitalizadas de artistas como Marcel Duchamp, Salvador Dalí, Francis Bacon, Roy Lichtenstein, entre outros.
  • Era Digital – O projeto permite visitas virtuais por locais como o Museu Imperial, em Petrópolis; o Museu do Oratório, em Ouro Preto; e o Museu de Cora Coralina, na cidade de Goiás.
  • Pinacoteca – Através do Google Art Project, o internauta pode fazer visitas a alguns museus. Um deles é a Pinacoteca do Estado de São Paulo. O acervo é composto por quase 100 obras de artes brasileiras, entre esculturas, pinturas e fotografias dos séculos 19 e 20.
  • Uffizi – O museu fica na cidade de Florença, uma das principais da Itália na época do Renascimento. O acervo inclui pinturas e esculturas daquele período.
  • British Museum – O museu londrino reúne mais de 2 milhões de obras e, de acordo com a informação do site, novas peças são incorporadas semanalmente.
  • Metropolitan Museum – Situado em Nova York, o espaço online reúne cerca de 400 mil trabalhos, incluindo criações de William Morris, Christian Dior e Pablo Picasso.
  • MoMa – O Museu de Arte Moderna de Nova York possui um acervo de pinturas, esculturas, instalações e fotografias. São mais de 50 mil obras, com destaque para Paul Cezàne, Pablo Picasso e Andy Warhol.
  • Museu do Prado – O museu madrilenho é o mais importante da Espanha. São mais de 2 mil imagens de arte espanhola, italiana e flamenca, com destaque para uma coleção de pinturas de Francisco de Goya. Ainda há disponíveis vídeos de obras comentadas.
  • Rijksmuseum – O Museu Nacional dos Países Baixos, em Amsterdã, é dedicado a exposição de artistas holandeses. O acervo inclui obra de Van Rijn, Rembrandt e Vermeer.