rp_computadores-na-mesa_2014-06-26.jpg

Demanda por PCs no Brasil deve voltar a crescer

A queda pela procura por PCs tem preocupado muitas empresas de tecnologia. Mas a Intel elevou esse mês sua perspectiva de desempenho para o segundo trimestre de 2014, […]

A queda pela procura por PCs tem preocupado muitas empresas de tecnologia. Mas a Intel elevou esse mês sua perspectiva de desempenho para o segundo trimestre de 2014, citando a forte demanda por computadores pessoais, o que surpreendeu o mercado.

A Intel afirmou que agora espera receita de US$ 13,7 bilhões, com uma margem para mais ou para menos de US$ 300 milhões. Anteriormente, a companhia esperava faturamento de US$ 13 bilhões, com margem de US$ 500 milhões.

A companhia afirmou que espera "algum" crescimento de receita em todo o ano de 2014, ante a perspectiva anterior de receita estável no período.

De acordo com o analista da companhia, Bernstein Stacy Rasgon, os PCs foram ficando menos interessantes por um tempo, mas agora eles voltaram a ter sua importância devido a novos atrativos tecnológicos que cada modelo vem oferecendo. Para ele, o desafio será manter essa demanda aquecida nos próximos anos.

Outra empresa que espera ver suas vendas crescendo é a Dell. Raymond Wah, vice-presidente da divisão de computadores da companhia, disse recentemente que o Brasil é um desses mercados que está impulsionando novamente a venda de PCs. Segundo ele, a tendência é que as vendas cresçam ao longo deste ano no país.

O mercado de computadores no Brasil registrou queda de 10% nas vendas no primeiro trimestre do ano passado, em relação ao mesmo período de 2012. De acordo com os dados de 2013 da consultoria IDC, os fabricantes venderam 3,4 milhões de computadores no país nos primeiros três meses do ano. Uma nova pesquisa que sairá ainda este ano deve mostrar um panorama diferente, com a demanda por computadores tendo um melhor resultado.