rp_slingshot_2014-07-03.jpg

Saiba quais são as diferenças entre o Slingshot e o Snapchat

Conheça Slingshot, o aplicativo do Facebook que é concorrente direto do Snapchat e saiba quais são as principais diferenças entre eles.

A principal diferença é que o Slingshot não tem como objetivo substituir o Snapchat. Os dois aplicativos têm propostas distintas. Diferente do Snapchat, o Slingshot não é voltado para mandar mensagens autodestrutivas e assegurar a privacidade do usuário.

O aplicativo do Facebook tem por objetivo um jeito rápido e eficiente para compartilhar fotos e vídeos com uma grande quantidade de pessoas. A autodestruição do conteúdo é mais um detalhe prático do que função principal.

No Slingshot, as fotos e os vídeos se destroem sozinhos depois de serem recebidas ou se quem recebeu responder. Já o Snapchat mantém os arquivos em loop indefinidamente. Eles só são apagados – automaticamente – se a mensagem não for aberta em 30 dias após o envio.

Outra diferença básica é que o Slingshot oferece backup automático do conteúdo enviado e salva tudo na galeria de imagens do celular. No Snapchat você precisa ativar manualmente cada Snap.

Um atrativo que os dois apresentam é o recurso de desenho. Ambos permitem que você desenhe por cima das imagens. Só que o Slingshot tem uma paleta de cores mais completa. Ele ainda dá possibilidade de escolher a largura das linhas, algo que o Snapchat não oferece. Mas o app do Facebook não deixa desenhar em cima de vídeos e não tem filtros. Nesse quesito, ponto para o Snapchat.

Uma diferença notória no Slingshot é a falta de notificações. Ele não avisa quando alguém abre suas mensagens enviadas e nem informa se a tela foi capturada.

O Snapchat também ganha no quesito bate-papo, pois possui um messenger de texto e vídeo simples. O concorrente, por sua vez, oferece apenas um pequeno pedaço de texto como resposta, mas nada parecido com um chat.

Veja o que tem de novo no Slingshot

Conheça o Slingshot

O Facebook lançou em junho o aplicativo Slingshot, que permite aos usuários trocar fotos e vídeos curtos que desaparecem. A empresa de Mark Zuckerberg fez questão de oferecer o serviço de forma separada da rede social, tanto que não obriga o consumidor a ter uma conta no Facebook para usar o app.

Os interessados em usar o Slingshot podem assinar o serviço com seus números de celulares, como no WhatsApp, e se conectar com amigos de sua lista de contatos no telefone, ou, se quiserem, buscando amigos de suas listas do Facebook.

As fotos no Slingshot desaparecem dos celulares dos usuários logo após serem vistas, no modelo que foi consolidado por um dos principais rivais do Facebook na atualidade, o app Snapchat, que recusou uma oferta de aquisição de US$ 3 bilhões feita pela rede social no ano passado.

O lançamento do Slingshot chega no momento em que uma nova safra de serviços de mensagens móveis ganha popularidade e ameaça afastar os usuários mais jovens da rede social de 1,28 bilhão de usuários.

Para mitigar a ameaça, o Facebook está desenvolvendo uma variedade de aplicativos e adquirindo rivais de rápido crescimento. Em 2012 a empresa obteve o serviço de compartilhamento de fotos Instagram e, em fevereiro, anunciou planos de comprar o aplicativo de mensagens WhatsApp por US$ 19 bilhões.