superbowl

Esta edição do Super Bowl promete ser a mais tecnológica de todas

Pelo que sentimos nos preparativos para a festa do Super Bowl, esta será a mais tecnológica de todas as festas já realizadas. Saiba de tudo aqui.

Gostando ou não de futebol americano, você já sabe que o Super Bowl é um dos eventos esportivos mais importantes do ano, não só pelo esporte em si mas também pelo espetáculo ali apresentado, que este ano, estará por conta da banda britânica Coldplay – pelos comerciais inesquecíveis e também por ser um dos eventos esportivos que conseguem reunir famílias e amigos no mundo inteiro frente a televisão.

Além disso, esta não é uma edição normal, mas sim a quinquagésima edição, que será realizada em São Francisco, cidade já acostumada a receber grandes festas e eventos não só esportivos como tecnológicos, como por exemplo a Convenção para desenvolvedores do Google, I/O ou o Dreamforce da Salesforce.

Leia também: Como os tablets mudaram a tática esportiva

Todas estas cerimônias lotam a cidade e seus hotéis. Já para esta festa dos cinquenta anos do Super Bowl, toda a cidade se vestirá de gala para oferecer a todos uma experiência inesquecível. A organização está nas mãos de  Marissa Mayer  da Silicon Valley,  diretora executiva do Yahoo!, Brian Krzanich, diretor executivo da Intel e David Drummond, vice-presidente Sênior da Alphabet.

Como se já não bastasse a competência do comitê organizador, o estádio Levi’s contará com uma banda larga 10 vezes superior do que a exigida pela NFL e isso graças ao seus 1.200 pontos de conexão wi-fi, tudo objetivando uma conexão sem falhas já que serão 72 mil expectadores usuários.

“Quase todos os que vêm ao estádio trazem celulares. Buscam estatísticas do jogo, publicam nas redes sociais, compartilham fotos… necessitamos a melhor tecnologia para que não haja nenhuma falha”, comentou o Diretor de Operações.

Mas, sabe por que é tão importante a conexão? Simplesmente porque no ano passado o Super Bowl quebrou todos os recordes no Twitter e no Facebook, e para 2016 esperam superar esses números.

Empresas criam estratégias para fazer presença

Passando para outras plataformas, o Google oferecerá ônibus para levar seus 5.000 funcionários da entrada do estádio até Mountain View, o que lhe custará em torno de U$ 55 ida e volta. Por outro lado, a Uber também fará seu próprio transporte para o evento, terá sua própria base a somente duas quadras do Levi’s Stadium, onde estacionarão seus veículos e farão o embarque e o desembarque de seus passageiros evitando assim o tumulto.

Outra grande marca que estará presente será a Apple, que se comprometeu a fornecer seus produtos e equipamentos para ajudar na organização. Já a Yahoo! se encarregará de oferecer estatísticas em tempo real e a SAP de criar um jogo futurista que se verá nos telões do estádio (antes do jogo) e na barca de São Francisco.

Isso é somente uma prévia do que se verá no próximo domingo dia 07 de fevereiro, o que por si só já confirma que esta edição do Super Bowl será de todas a mais tecnológica, isso sem contar com as possíveis surpresas que poderão acontecer durante a comemoração.