fotos e mulheres

Fotos de mulheres nuas caem na internet

Como fotos privadas são expostas na internet. Entenda o caso do iCloud

Acesso a fotos íntimas em contas do iCloud sugere que Apple precisa mudar política de segurança. Entenda o caso e aprenda a proteger sua intimidade!

 

O problema não se restringe a celebridades como Jennifer Lawrence, Kate Upton, Mary Elizabeth Winstead, Ariana Grande, Kirsten Dunst e Rihanna, e o alerta vale não só para mulheres famosas, após a enxurrada de fotos nuas de estrelas de Hollywood e do Show Bizz que se espalharam na internet no início desta semana, mas para todas as pessoas que têm como prática tirar fotos íntimas para trocar com namoradas e parceiros como forma de apimentar a relação. Mesmo que você acredite que o relacionamento é para sempre, pode ser eterno apenas enquanto dure, e você não tem como garantir um fim amigável da parceria amorosa, nem tem como fazer desaparecer o histórico de mensagens trocadas. Então, cuidado, e pense bem antes de enviar fotos suas nuas para outra pessoa.

No Brasil, pesquisa mostra que 6 em cada 10 brasileiros têm costume de armazenar vídeos, fotos e e-mails com conteúdo íntimo, enquanto 2 em cada 10 utilizam o celular para gravar conteúdos sexuais. Uma vez na internet, difícil garantir que sua privacidade não será escancarada.

Como fotos íntimas vão parar na rede

É preciso tomar cuidado ao armazenar imagens nuas ou tirá-las desde um celular por questões de privacidade, por dois problemas principais: hackers podem invadir dispositivos ou acessar fotos salvas, automaticamente ou não, em serviços de armazenamento em nuvem, como os oferecidos por Apple (iPhone), Google (Android) ou Microsoft (Windows Phone); e você ainda pode perder ou ter o celular roubado, dando acesso a todos os arquivos do celular a quem o tiver desbloqueado em mãos, e o ladrão ou curioso poderá abrir fotos e vídeos sem proteção de Cofre, além de todo o backup feito na nuvem, com possibilidade de visualizar tudo que estiver armazenado na conta do usuário.

Falha de segurança no iCloud não é novidade

Apesar de a Apple se esforçar para manter a fama de ter um sistema operacional ultra seguro, os problemas de privacidade dos usuários do iPhone vem aumentando. Falhas são cotidianamente assumidas pela empresa. Os problemas se concentram, principalmente, no serviço ‘Find My iPhone’, que permitia até então que hackers tentassem infinitas senhas até conseguir acesso a uma conta de usuário, ao menos em modo off-line, ao invés de bloquear o serviço após algumas tentativas erradas, o que só aconteceria, segundo especialistas, com o usuário online. Com isso, estaria destrancada a porta de entrada para o invasor visualizar todos os arquivos armazenados no iCloud. A Apple, porém, diz já ter corrigido a falha. Será?

Especialistas já haviam alertado para outras duas vulnerabilidades de serviços oferecidos pelo iCloud. A primeira estaria ligada ao ‘Find My iPhone’, que não possui o mesmo nível de segurança de outros recursos oferecidos pela empresa. A segunda refere-se ao fato de as senhas terem apenas 4 dígitos, facilitando a descoberta da combinação.

Invadir computador e celular no Brasil já é crime

Fora o compartilhamento voluntário e a consequente perda de controle do alcance que as imagens privadas poderão ter, a ação de criminosos pode arruinar sua privacidade e causar bastante dor de cabeça. O crime de invasão virtual no Brasil já é combatido e a Lei recebeu o nome de Lei Carolina Dieckman, em referência à atriz que teve fotos nuas divulgadas na internet após enviar seu computador para análise técnica.

Quem invade computadores ou smartphones comete crime de invasão de dispositivo informático e está sujeito a pena de reclusão de 3 meses a 1 ano, com agravante caso a invasão tenha sido realizada de forma remota e não autorizada, aumentando a pena para 6 meses a 2 anos, além de multa, prevista nos dois casos. Se houver divulgação, comercialização ou transmissão a terceiros, configura-se novo agravante. Quem distribui, oferece, vende ou difunde o material também incorre no mesmo delito, mas dificilmente ficará preso.

Como proteger fotos privadas