rp_geracao-MATCH-Tinder_2014-10-31.jpg

Geração Match: apps podem modificar como nos relacionamos?

Aplicativos de Match fazem sucesso na internet. Será que isso reflete uma geração acostumada a não esperar?

 

Um deslizar de dedos na tela é meio caminho andado para um encontro. Outro movimento no display do smartphone pode garantir aquela tão sonhada vaga de emprego. Os aplicativos de match são a nova onda do momento e conquistam cada vez mais usuários que, de certa forma, buscam um atalho para definir da forma mais simples possível relações que sempre foram consideradas complexas.

Para entender os motivos que fazem este tipo de app ser um sucesso, o Blog PSafe consultou alguns especialistas. Entenda o porquê da ascensão meteórica do Tinder e como cada vez mais empresas se inspiram no app.

O sucesso deste tipo de aplicativo pode ser explicado pelas características desta geração. Nascidos a partir dos anos 90, a Geração Y, também conhecida como Geração Milênio, já nasceu online.  Uma das principais características justamente é a facilidade na tomada de decisões importantes. A substituição de um parceiro ou a troca de um emprego para eles, geralmente, não necessitam de grandes reflexões.

Para Roberto Cassano, diretor de planejamento e marketing da Agência Frog, o sucesso deste tipo de aplicativo nada mais é do que o reflexo de um comportamento atual.

"Nos relacionaremos de forma diferente por meio desses apps, mas não por causa deles. Eles só viabilizam uma necessidade que já existia, de enxergar como uma relação técnica e binária um elemento complexo e imprevisível chamado vida", afirma Cassano.

O Tinder tem mais de 100 milhões de usuários ativos, sendo 10% de brasileiros e a maioria (80%) de solteiros. Ao todo são 800 milhões de interações diárias, entre curtidas e visitações de perfil. 

Para a psicóloga Raquel Staerke, a espécie de 'cardápio', mesmo fator que faz com que o aplicativo tenha tanto sucesso, pode causar uma série de frustrações em seus usuários.

"Todo indivíduo tem uma história, faz parte de um contexto sócio-histórico e num aplicativo como esse, tal conteúdo não é o critério inicial que influencia uma possível escolha de parceiros e, assim, surpresas nem sempre positivas podem ocorrer", alerta.

Cassano acredita que essa nova forma de escolha é uma tendência global e que, assim como o Jobr e o VotoxVeto – aplicativos que também utilizam o conceito de match –, estes apps cada vez mais farão parte de nossas vidas.

Mesmo com tantas divergências, uma coisa é certa: apesar de todo o aparato tecnológico nada substitui um bom olho no olho. E você? Acha que este tipo de aplicativo pode modificar a forma como nos relacionamos? Deixe a resposta nos comentários.