Google pode voltar a oferecer seus serviços na China após cinco anos

Google está fora do mercado chinês desde 2010, por não concordar com os termos de operação de seus serviços no país.

Não é segredo para ninguém que a gigante americana Google é proibida de oferecer seus serviços no mercado chinês. O governo local censura o Google desde 2010, após a empresa discordar dos termos que deveria operar seus serviços no país. Mas, cinco anos depois, o Google pode voltar a China. Segundo o portal ‘The Information’, a gigante da tecnologia espera conseguir aprovação do governo para voltar ao mercado chinês ainda em 2015.

Veja também: Google usará balões para levar internet 4G para áreas remotas

Segundo a reportagem, o Google Play deverá estar disponível para dispositivos com a próxima versão do sistema Android (chamado de ‘M’) e que atendam os critérios definidos pelo Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação. O serviço será bem parecido com o do Brasil, mas com algumas restrições de localização e acesso as redes sociais, além de não poder vender livros, músicas e filmes. O Google também passará a oferecer uma versão Android para smartphones fabricados na China.

Diferente de 2010, o Google pretende seguir as leis locais e bloquear os aplicativos que o governo considerar questionáveis. Antes da censura, o Google atuava no país de forma independente ao Governo.

A volta do Google a China irá gerar receitas para a empresa e dará a companhia maior controle da distribuição da plataforma Android no país. Sem o Google, o sistema é distribuído de forma fragmentada. Muitos fabricantes usam versões ‘open source’ sem ter parceria com a empresa. O objetivo do Google ainda é levar o sistema Android para smartphones IOT, os chamados ‘aparelhos inteligentes’.

Para conquistar os desenvolvedores locais, o Google oferecerá 70% da renda gerada pelos seus aplicativos. As lojas chinesas costumam ficar com grande parte da renda gerada pelas criações de desenvolvedores locais.