rp_google-glass-prototipos_2014-03-21.jpg

Google se posiciona sobre rumores que envolvem o Google Glass

Não são poucas as especulações a respeito do futuro da linha Glass da Google. Já em fase de testes, o produto é um dos mais esperados pelo público […]

Não são poucas as especulações a respeito do futuro da linha Glass da Google. Já em fase de testes, o produto é um dos mais esperados pelo público e ganhou uma websérie oficial em 2013 para exemplificar o seu uso cotidiano num futuro próximo e para eliminar as especulações a respeito do produto que circulavam na Internet naquela época.

Diante do aumento atual dos rumores, a Google se viu obrigada a voltar a público e publicar em seu perfil no Google+, dez mitos que se propagam na rede sobre o Google Glass. Veja abaixo.

  1. O Google Glass é a distração final do mundo real. O vidro será ativado por comando do usuário, a única diferença para computadores, smartphones e tablets é que ao invés de ter que olhar para baixo, o internauta olhará para cima, sem perder interação com o mundo real.
  2. O Google Glass está sempre ligado e gravando tudo. O comando de gravação partirá do usuário. O produto está programado para gravar durante 10 segundos, mas claro que você poderá gravar por mais tempo. De qualquer maneira, após 45 minutos é possível que você tenha que recarregar o dispositivo.
  3. Os usuários são nerds adoradores de tecnologia. A fase de testes conta com pessoas de diversos perfis e profissões. A ideia do produto é melhorar a relação do ser humano com a tecnologia e mantê-lo atento ao que acontece no mundo real. Hoje, com smartphones e tablets, as pessoas tendem a se voltar ao aparelho e parar de interagir com a realidade.
  4. O produto está finalizado. Trata-se de um protótipo que já recebeu melhorias tanto em hardware (3), quanto em software (9), e até chegar às prateleiras poderá sofrer novas modificações e não se parecer em nada com os protótipos em teste.
  5. Google Glass faz reconhecimento facial. Não é por que a empresa testa novas aplicações que elas estarão disponíveis para compra na MyGlass. A Google não pretende oferecer a funcionalidade.
  6. O Google Glass quando uma tela, impede a visão. Para visualizar o conteúdo, o usuário deverá olhar para cima. As imagens estarão posicionadas à frente e acima do olho direito, o que não impedirá a visão das pessoas.
  7. O Google Glass será um objeto de vigilância constante. Toda vez em que o dispositivo estiver funcionando, o usuário poderá acompanhar a luz acesa logo após comando de toque ou voz. Não se trata de um produto espião.
  8. Google Glass é para ricos. O protótipo custa US$ 1,5 mil, o que o torna inalcançável a grande parte da população. Isso não quer dizer que os testadores sejam ricos, alguns até recebem por isso.
  9. Google Glass é proibido em todos os lugares. Desde o surgimento de celulares, criou-se regras de etiqueta. Com o Google Glass será a mesma coisa. Ao que tudo indica, será mais fácil exigir o desligamento da lente, que o de celulares, pela facilidade de fiscalização.
  10. Google Glass marca o fim da privacidade. Quando foram lançadas as câmeras de fotos, e, depois, os celulares com câmeras, o receio da população era o mesmo. Basta acompanhar o uso dado aos aparelhos e o que as pessoas costumam gravar para eliminar este boato. De qualquer forma, o mundo terá cada vez mais e mais câmeras.