rp_cartao-de-memoria-sd-galaxy_2014-03-18.jpg

Google quer eliminar cartão SD de dispositivos Android

Google trabalhar para os que smartphones e outros dispositivos eletrônicos com Android não utilizem mais cartão SD para armazenar arquivos na memória.

Dispositivos Android sem cartão SD

Versões anteriores do sistema operacional do Google permitiam que os aplicativos nativos e de terceiros lessem e escrevessem utilizando a memória externa do celular – o cartão microSD, liberando espaço na memória interna do aparelho. A partir da versão 4.4 Kitkat, a empresa começa a limitar o seu uso para armazenamento de arquivos e os APPs de terceiros passam a adotar o slot de memória apenas para guardar cache e alguns arquivos pessoais, que serão apagados quando o aplicativo for removido do celular ou tablet. Dependendo do uso que você dá ao seu smartphone, isso pode representar um grave retrocesso, já que a regra afetará a forma de fazer backup e editar e tratar fotos de câmeras alternativas que armazenam seus arquivos de saída diretamente no cartão microSD.

A medida parece buscar definir o modelo de nuvem como ferramenta de backup de usuários Android, eleito pelo Google, em detrimento do poder de escolha do internauta e irá igualar a utilidade dos SDs a dos pendrives e HD externos, já que estarão restritos a realizar cópias de arquivos salvos em computadores. Isso poderá levar ao desaparecimento dos cartões microSD, empregados para ampliar, mesmo que não muito, a capacidade de memória de smartphones e tablets, que desde o lançamento não avançaram muito na questão, com modelos básicos que variam de 8 GB a 32 GB de memória.

A mudança veio acompanhada de nova interface unificada para acesso aos arquivos em aparelhos Android: Storage Access Framework, eliminando a necessidade de indicar onde estão os documentos, se na memória interna, externa ou na nuvem. As razões para isso parecem ser comerciais: vide anúncio do Google de reduzir os preços para armazenamento no Google Drive e estimular o lançamento de novos produtos, que encontram empecilhos para seu desenvolvimento na presença física de cartões SD.

A determinação forçará os fabricantes a aumentar a memória dos dispositivos e evitará que usuários resolvam este problema comprando um cartão SD superior e efetuando a troca do gadget, direcionando o armazenamento complementar à nuvem, transformando o Google Drive no principal “HD externo” de usuários de Internet. E, finalmente, visa aumentar a segurança da informação, já que alguns dados do cartão SD estão acessíveis a terceiros de forma que o Google não consegue protegê-los, parte do que explicaria os problemas recentes enfrentados pelo Whatsapp.