rp_android-evolution_2014-11-10.jpg

Kit Kat é a versão mais usada do Android no momento

O Kit Kat se tornou a versão mais utilizada do Android no momento. Confira

Você sabe qual a versão do Android mais utilizada no mundo? Pois saiba que o Google divulgou, no início de novembro, uma pesquisa que detalha os números do robô pelo planeta. E com o recente lançamento do Android 5.0 Lollipop e o início das vendas do Nexus 9 e Nexus 6, o Android 4.4 KitKat finalmente tornou-se a versão mais utilizada do Android. Com 30,2% do mercado, a plataforma levou aproximadamente um ano para se tornar um sistema amplamente utilizado.

Versões anteriores do Android cada vez mais perdem presença. A segunda versão mais usada é a 4.1 (Jelly Bean) com 22,8%, seguido pelo Android 4.2 com 20,8%. A versão 4.3 tem apenas 8,5% de mercado, juntamente com o Android 4.0 (Ice Cream Sandwich). Os dados foram colhidos entre os dias 28 de outubro e 3 de novembro de 2014. 

A última versão do sistema, antes chamada de Android L e agora sob o nome de Lollipop, também pode levar algum tempo para se popularizar, assim como o Kit Kat, já que muitas marcas sequer o lançaram em seus aparelhos. Dispositivos com o novo sistema devem chegar ao mercado até o fim do ano.

O que cada versão trouxe de bom

Cada vez mais, versões antigas de sistemas operacionais vão caindo no esquecimento. Mas, cada uma delas trouxe algo de bom e inovador para a vida das pessoas.

O Android 2.1 Eclair foi o pontapé inicial das versões que fizeram a diferença nos celulares. Desde então, o sistema Android passou a ser um dos mais populares do mundo. Logo a versão se tornou um fenômeno e colocou o Google de vez na briga dos smartphones. Sua principal inovação foi possuir aplicativos do Google, como o Gmail.

O Android 2.2 Froyo, por sua vez, chegou apresentando uma melhoria considerável no desempenho geral de um celular com Android. Ele também incluiu algumas mudanças, como atualização automática de aplicativos e suporte ao Adobe Flash, algo bastante requisitado pelos usuários.

Já o Android 2.3 Gingerbread foi apresentado com suporte a tecnologias como o NFC (Near Field Communication), que é um sistema de transmissão de dados sem fio, sensores de movimento para jogos, chamadas por VOIP, além de uma interface mais minimalista e funcional. Nessa versão, o celular com Android ganhou muita estabilidade, além de ter ótima compatibilidade com os aplicativos.

O Android 4.0 Ice Cream Sandwich foi a versão que passou a tratar de forma igualitária tablets e smartphones. Uma de suas principais novidades foi a transmissão de dados utilizando a tecnologia NFC, só que desta vez de maneira mais efetiva. Também foi adicionado um sistema de reconhecimento facial na hora de destravar o dispositivo, além de inúmeras alterações que tornaram o Android ainda mais eficiente e rápido.

Em seguida, surgiu o Android 4.1 Jelly Bean. Este já era mais ágil e consumia menos bateria que os anteriores. Ele também tinha como objetivo otimizar o uso das principais ferramentas do smartphone. O aplicativo Google Now foi um dos diferenciais de um smartphone com Android que tinha esta versão, fornecendo informações de restaurantes, transportes ou entretenimento, baseado na sua geolocalização.

Velocidade era o grande DNA do Android 4.2 Jelly Bean Plus, que passou também a oferecer o recurso Photo Sphere, capaz de tirar fotos panorâmicas em 360 graus. Mais um destaque era a digitação por gestos: esse recurso ainda sugeria as palavras, facilitando a vida de quem gosta de mandar diversas mensagens no dia a dia.

O Android 4.3 Jelly Bean teve mudanças mais sutis em relação aos dois últimos.  Uma das vantagens, porém, eram os perfis fechados: além de o aparelho ter várias contas, cada uma delas teria suas configurações e aplicativos próprios. Também passou a ser possível limitar o acesso de uma conta a alguns recursos, algo muito útil para os pais controlarem os acessos dos filhos.

O Android 4.4 Kit Kat, o mais usado do momento, passou a dar mais destaque aos botões virtuais, o que possibilitou explorar toda a tela do smartphone. Os comandos de voz também sofreram uma grande evolução. O recurso “Ok, Google” foi um golaço do Google. Em tempos de Instagram e seus filtros, outra opção que agradou e muito os usuários foi um editor de fotos totalmente novo, reforçando a aplicação Galeria, que passou a permitir que os usuários editem as suas fotografias melhor com muitos filtros, usando saturação, alterando o contraste, exposição etc.

Por fim, o Android 5.0 Lollipop, a mais nova versão do robô do Google. Suas principais mudanças estão na interface, que apresentará aos usuários um visual totalmente novo. Ele também oferecerá mais funcionalidades nativas, que até agora estão disponíveis através de ROMs customizadas ou aplicativos de terceiros.

Um exemplo são as Heads Up, que permitem visualizar as notificações em janelas móveis. Ao oferecer essa função em modo nativo, o Android incentiva o usuário a permanecer no ambiente do Google e a usar os seus aplicativos, sem ter a necessidade de recorrer a outras ROMs ou funções externas.

Confira mais detalhes da nova versão do Google