Alerta! Novo golpe no WhatsApp promete CNH grátis; 630 mil já foram afetados

Hackers atacam usuários que recebem menos de 2 salários mínimos ou que estão desempregadas há mais de um ano

Novamente, o WhatsApp é usado para aplicar golpes on-line. Desta vez, os hackers prometem a participação em um programa para adquirir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) gratuitamente, de acordo com o laboratório de segurança digital DFNDR Lab. Em uma semana, mais de 630 mil pessoas que usam o DFNDR Security receberam o golpe.

O grande diferencial do golpe é que, de maneira ainda mais desleal, os hackers atacam exclusivamente usuários que recebem menos de 2 salários mínimos (cerca de 1.067.416 de pessoas¹, de acordo com dados do IR) ou que estão desempregadas há mais de um ano (939 mil brasileiros, segundo o IBGE²). Essa é a população que tem direito a participar do programa CNH Social, que possibilita se habilitar na categoria ‘B’ de forma gratuita – o valor real é em média 2 mil reais.

Como o golpe da CNH grátis funciona

Com a promessa de que há uma nova seleção de candidatos à CNH Social, o golpe solicita que o usuário preencha seus dados pessoais como nome completo, data de aniversário e o estado onde mora. Em seguida, ele é induzido a compartilhar a falsa promessa com dez amigos ou em cinco grupos do WhatsApp para concluir a inscrição.

Depois de clicar três vezes no botão compartilhar, o usuário é redirecionado para uma página no Facebook que contém posts sobre outros programas do governo, como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida, com a intenção de dar credibilidade ao anúncio.

Quais são os prejuízos para o usuário

Segundo Emilio Simoni, Diretor do DFNDR Lab, diariamente, centenas de milhares de links maliciosos são espalhados via WhatsApp sem que as pessoas saibam que estão ajudando os hackers a disseminarem seus golpes.

“Neste caso específico, o cibercriminoso está aplicando métodos de engenharia social ao ampliar sua base de contatos para a veiculação de novos golpes e até mesmo ganhar dinheiro expondo/vendendo dados pessoais dos usuários”, explica.

Como se proteger contra ataques via aplicativo de mensagem

O usuário pode usar o WhatsApp com segurança. Para isto, Simoni recomenda o uso de um aplicativo de antivírus que tenha a função anti-phishing ou anti-hacking. O DFNDR Security, por exemplo, é capaz de bloquear links falsos ou com vírus em aplicativos de mensagens, redes sociais e também no navegador. Assim, é possível evitar ataques mesmo se o usuário abrir a url maliciosa.

Em caso de dúvida, o usuário também pode usar a ferramenta de análise – gratuita e disponível para toda a população – do DFNDR Lab. Para usar, basta colar o link suspeito no campo indicado e o laboratório digital indica se o link é seguro ou não.


¹Número referente às declarações de imposto de renda de pessoas físicas entregues em 2015 (ano-calendário 2014), divulgados pela Receita Federal.
²Dados referentes ao 3º trimestre de 2017.