rp_e-mail_2014-07-16.jpg

Saiba sobre o futuro incerto e desconhecido dos e-mails

Depois de alguns anos de uso, por incrível que pareça, o e-mail dá pistas de que vem perdendo fôlego e caminha rumo à extinção.

teclado e-mail

Em um tempo não muito distante, uma ferramenta revolucionava a maneira com que pessoas se comunicavam à distância: o correio eletrônico (ou e-mail). Rápido, econômico e seguro, o e-mail quase determinou o fim das cartas de papel e levou receio de falência às empresas de Correios do mundo.

Só que, depois de alguns anos de uso, por incrível que pareça, o e-mail dá pistas de que vem perdendo fôlego e caminha rumo à extinção. Mas, será?

A Google já reinventou e revolucionou várias vezes o mercado com seu badalado Gmail. Só que, para alguns especialistas, a mudança não conseguiu reverter o rumo que o e-mail continua traçando. A ferramenta hoje é imprescindível quando o assunto é business, ou algo mais formal.

Seria o fim?

O e-mail ainda não está chegando o fim. O que vê é um ciclo de fragmentação das comunicações, que antes eram domínio exclusivo dele. Novas tecnologias, mais contextuais e adotadas nos hábitos da geração digital, começam a dar as caras na sociedade e nas empresas.

As pessoas raramente estão escrevendo textos longos e evitam ao máximo ter que digitar palavras inteiras, deixando isso para meios formais. O surgimento de novas plataformas, como o WhatsApp e as redes sociais, e o fato de as pessoas passarem mais tempo conectadas facilitam a linguagem simplificada e os textos curtos.

Não é possível ainda afirmar qual será o destino do e-mail. Mas, na roda de amigos ou no encontro com aquela paquera, o que se troca é número de telefone para usar o WhatsApp – e não mais o endereço de e-mail.

É importante saber quais são as novas formas de comunicação que estão assumindo um papel importante no mundo. O resto, só o tempo dirá.