Profissional de QA

O que faz um profissional de QA?

Conheça o Trabalho de QA: time de papel fundamental na construção de um produto exitoso, mapeando melhorias e correções que devem ser aplicadas ao software

O sucesso de um produto digital não é tarefa exclusiva do time de Desenvolvedores, que traduz para linguagens de programação as ideias criativas de uma corporação. O time de QA tem papel fundamental na construção de um produto exitoso, ao mapear as melhorias e correções que devem ser aplicadas ao APP ou software para ajustar o seu funcionamento e, com isso, levar ao usuário final a melhor experiência possível de uso.

Hoje, vamos conhecer um pouco mais da equipe de QA da PSafe Tecnologia, que auxilia a empresa na manutenção da liderança em segurança digital no Brasil e América Latina. Conheça o time de QA da PSafe Tecnologia nesse bate-papo com Luciana Muller e Alexandre Brambilla:

Quantas pessoas compõem a equipe de QA da PSafe e qual o seu papel no sucesso dos produtos?

No escritório da PSafe no Rio são 5 pessoas, em Florianópolis mais 6, um total de 11 colaboradores obstinados por Qualidade.

Qual a ferramenta utilizada pela PSafe para realizar os testes de qualidade dos seus produtos?

Para testes automatizados em produtos mobile são feitos testes unitários criados pelo time de desenvolvedores e testes exploratórios realizados pelo time de QA-Florianópolis. Na parte web, testes automatizados com o Protactor e VS estão sendo criados. Para armazenar os casos de testes usamos o TestManager, já o Redmine e o Visual Studio para cadastrar e controlar bugs.

É diferente certificar a qualidade de produtos desktop e mobile?

Não, mas cada um tem o seu universo particular. Por exemplo, em desktop tem diversas versões Windows, já no mobile tem muitas versões Android, ou seja, cada um tem seu sistema operacional, suas resoluções de tela e velocidades de conexão etc, que acabam impactando a atividade de QA, exigindo competências específicas para avaliar os casos.

Quais os principais resultados obtidos em testes na PSafe, seja de script, seja exploratório?

Minimizamos o número de bugs contribuindo para termos produtos de melhor qualidade. De 70 a 80% dos bugs detectados são corrigidos antes do lançamento de uma versão/produto, e os bugs restantes são de pouquíssimo impacto para o usuário e são corrigidos em atualizações posteriores.

Para citar um exemplo específico, corrigimos a performance da função Cofre no PSafe Total para aparelhos com versões muito antigas do sistema operacional Android, falha descoberta durante os testes, evitando que o bug fosse distribuído.
O que mudou no PSafe Total Android no último ano fruto de investigação de QA?

O time de QA já registrou 253 melhorias para o PSafe Total Android, onde 234 foram implementadas. Grande parte dessas melhorias foram registradas com o objetivo de proporcionar a mesma experiência para todos os diferentes tipos de smartphones que nossos usuários possuem: desde os mais pequenos e antigos até os mais novos e potentes.

Além disso, buscamos defender o nosso usuário de forma a garantir que a sua necessidade seja atendida. Um exemplo disso foi a implementação da checagem de vírus na Otimização Rápida: um dos colaboradores de QA observou que uma das primeiras versões do nosso produto não fazia uma verificação rápida de vírus e aplicou a melhoria.

Quantos testes são realizados com os produtos e com que frequência?

Sobre os produtos desktop temos 1500 casos de testes manuais. A frequência não é rígida, estes testes são executados sempre antes da liberação de uma versão ou atualização para produção.

Para os produtos mobile nós aplicamos o princípio do Paradoxo do Pesticida. Para evitar que um caso de teste passe a não detectar mais defeitos após um determinado momento, nós decidimos dividir o processo em duas etapas: Testes de Implementação e Testes de Manutenção.

Os testes de implementação podem variar, em média, de 10 a 50 casos de teste para cada feature nova a ser implementada. Esses testes são executados durante o desenvolvimento e podem ser repetidos inúmeras vezes até que a implementação seja considerada estável.

Já os testes de manutenção consistem em mais de 500 casos de testes que são revisados e atualizadas periodicamente. Esses testes são executados somente quando todas as implementações planejadas para a versão são consideradas estáveis.

Quais as principais fraquezas do APP encontradas pela equipe de QA e como foram corrigidas?

Quando o Antifurto do Total Android foi redesenhado, o time de QA encontrou uma falha na concepção da feature. Ajustes foram feitos e a nova concepção foi implementada dias antes do lançamento em uma força tarefa. Tudo para levar um produto funcional ao nosso usuário.

Qual o tempo necessário para realizar testes exploratórios hoje em dia na empresa?

Para cada produto web e desktop, são necessárias 4 e 8 horas, respectivamente. Para os produtos mobile são necessárias, em média, de 8 a 12 horas, mas depende muito da complexidade da implementação.

Que funcionalidades foram incluídas nos produtos a partir de mapeamento realizado pela equipe de QA?

Para desktop trabalhamos apenas melhorias de usabilidade, como melhorar a navegabilidade na tela de personalização de Proteção.

Nenhuma funcionalidade nova foi implementada a partir de QA para os produtos mobile. Assim como para desktop e web, trabalhamos melhorias na usabilidade e experiência do usuário atacando as funcionalidades que já existem. A inclusão de features fica a cargo da equipe de Desenvolvimento.

O produto previa alguma implementação que foi reprovada pela equipe de QA? Qual e por quê?

No desktop sempre são detectados bugs, principalmente em novas features. Eventualmente, ocorrem casos de regressão, ou seja, bug detectado em versão anterior que volta a ocorrer em uma versão nova. Trabalhamos para eliminá-los dos produtos e entregar ao usuário final um produto sem falhas e de funcionamento perfeito.

O exemplo do antifurto citada na pergunta “Quais as principais fraquezas do APP encontradas pela equipe de QA e como foram corrigidas?” pode ser parcialmente usado aqui. Além do episódio do Antifurto, nunca chegamos a refutar uma implementação, pois todas elas, após os testes, atingiram o nível mínimo de qualidade, além de agregarem valor para o usuário. Defeitos encontrados durante os testes, na maioria das vezes, interrompem o lançamento de uma nova versão até que o defeito seja corrigido, mas raramente invalidam uma funcionalidade nova.

Qual a participação de QA nos resultados de certificações internacionais conquistadas pelo PSafe Total Android, como a AV-TEST?

Nenhuma. Toda a preparação é feita pela equipe de malwares da PSafe, o pessoal do Laboratório de Análise de Riscos, que submete ao produto milhares de malwares para detecção do PSafe Total. Nós apenas verificamos se a função trabalha bem.