rp_tinder-app_2014-12-03-15-36-54.jpg

O sucesso do Tinder traduzido em números

veja os números que fazem o Tinder o maior app de pegação e relacionamentos do mundo.

Aplicativos de paquera são a nova sensação entre os mais descolados. A facilidade de arranjar um encontro apenas com o deslizar dos dedos tem atraído cada vez mais adeptos.  Em entrevista ao The New York Times, Jonathan Badeen e Sean Rad, fundadores do Tinder, revelaram alguns dados surpreendentes do aplicativo. Saiba o tamanho do sucesso do app.

Desde quando foi lançado, há mais ou menos dois anos, o Tinder contabiliza mais de um bilhão de swipes, interações que determinam se o usuário está ou não interessado em outra pessoa. O número de combinações realizadas, quando as duas pessoas se 'curtem', ultrapassa a marca de 12 milhões por dia.

Os executivos não revelam o número exato de usuários do aplicativo, mas estima-se que o Tinder tenha em torno de 100 milhões de cadastros e cerca de 50 milhões de usuários ativos. Mas talvez o número mais surpreendente seja o engajamento. Os usuários entram em média 11 vezes por dia no aplicativo, sendo as mulheres as campeãs em tempo de uso a cada sessão, com 8,5 minutos. Já o público masculino gasta um pouco menos de tempo, cerca de 7,2 minutos.

Em média, cada usuário gasta 90 minutos por dia no Tinder. É como se uma pessoa passasse uma partida de futebol inteira olhando para a tela do smartphone e dando like nas fotos mais bonitinhas – ou menos feias.

E são as fotos a parte fundamental do aplicativo. Sean Rad, presidente-executivo do Tinder, explicou que a facilidade do cadastro, ao ser vinculado ao Facebook, e possibilidade de adicionar fotos são alguns dos fatores para o sucesso do app.

"Quando foi a última vez que você entrou em um bar e alguém disse: 'Desculpe-me, você pode preencher este formulário e nós vamos combiná-lo com as pessoas aqui?", disse Rad ao comparar o Tinder com os sites de namoro, como eHarmony, OKCupid etc.

O Tinder é alvo de vários estudos relacionados ao comportamento humano. Uma pesquisa, encomendada pela própria empresa, constatou que vários fatores, como estilo de roupa, a forma dos lábios e até mesmo a postura, podem contribuir para um 'like' ou 'dislike' no app.

Em outra pesquisa, várias mulheres foram designadas a escolher entre algumas fotos de modelos. O estudo constatou que o público feminino prefere homens com a linha do queixo mais suave. O motivo: homens com queixo mais esculpido aparentavam ser mais arrogantes.