head_justificativa

Por que falar sobre privacidade digital no Dia da Mulher

Mulheres são principais vítimas do assédio e abuso online. Por isso, na semana do dia 8, a PSafe quer discutir sobre segurança e, com o lema #EuQueDecido, reforçar o direito de cada um controlar sua própria vida - real e virtual

As mulheres são um dos principais alvos da violação aos direitos humanos. Por isso, neste 8 de março que se aproxima, a PSafe vai celebrar o Dia Internacional da Mulher refletindo com você sobre privacidade digital. Com o lema #EuQueDecido queremos reforçar o direito de cada ser humano de controlar sua própria vida – ainda separada erroneamente entre real e virtual.

Só para se ter ideia, uma em cada três mulheres é vítima de violência no mundo. E em tempos de alta conectividade, a tecnologia se tornou mais um meio para o ataque constante ao público feminino. Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), milhares de mulheres sofrem diariamente assédio ou abuso online. Daí o alerta global feito pela instituição: é preciso despertar para a importância deste tema.

Estudos mostram ainda que anonimato, acessibilidade, ação a distância e automação (menos tempo e esforço) são as principais características da violência de gênero no meio digital. Este tipo de crime se dá desde o assédio virtual, ofensas e cyberbullying à divulgação desautorizada de informações, fotos e vídeos de natureza íntima e privada.

A PSafe se dedica ao desenvolvimento de soluções para garantir segurança a mais de 20 milhões de usuários. Portanto, motivos não faltam para apoiarmos uma causa tão essencial e urgente para a sociedade (nós). Vamos somar forças. Precisamos falar, comentar e compartilhar opiniões, dúvidas, experiências. Por mais consciência e diálogo. Por mais liberdade, igualdade e respeito à individualidade. É a PSafe pela privacidade digital.
Por que falar sobre privacidade digital no Dia da Mulher