Ransomware promete ser a grande ameaça virtual de 2016

Segurança em xeque: vírus que sequestra dados e exige pagamento de resgate será mais direcionado a gamers e usuários de serviços de pagamento online.

Uma ameaça virtual que fez milhares de vítimas ao longo de 2015 promete ganhar força em 2016. Segundo um relatório de tendências em ameaças digitais da Trend Micro publicado recentemente, o Ransomware, ou “vírus de resgate”, vai ser a grande dor de cabeça do ano que se aproxima.

Funciona assim: após infectar um telefone ou computador, o Ransomware se apodera do sistema e de todos os seus dados. Fotos, mensagens e senhas, entre outros arquivos, vão parar nas mãos de criminosos, que fazem contato por e-mail pedindo que você deposite uma determinada quantia num serviço de pagamentos online.

Prevenção ainda é mais eficaz

É tudo tão bem elaborado que eles sequer podem ser rastreados. Apesar de já haver investigações em andamento, inclusive no Brasil, desmantelar as quadrilhas que agem assim não é tarefa fácil, o que nos leva à conclusão de que prevenir ainda é o melhor remédio.

Segundo Ricardo Coutinho, analista de segurança da PSafe, a melhor maneira de evitar a infecção por um Ransomware é evitar abrir e-mails e fazer downloads de origem desconhecida. Se você não sabe de onde vem, não abra e não baixe.

Além disso, é importante manter, tanto no celular quanto no computador, um antivírus realmente eficaz, com a base de proteção atualizada. Só entre usuários do PSafe Total, nove sequestros graves foram barrados entre outubro e novembro de 2015.

Quem está na mira?

O Ransomware é potencialmente perigoso para qualquer usuário, mas quem usa serviços de pagamento e transferência de dinheiro online, além de gamers, devem redobrar a atenção, pois os criminosos estão de olho nesse público e devem começar a direcionar mais os ataques.

Leia também: Ransomware: o que é e como se proteger do sequestro de dados feito por hackers