wifi-inseguro

Redes domésticas Wi-Fi estão inseguras

Estudo da Qihoo 360 aponta que ao menos 80% das conexões Wi-Fi domésticas da China podem ser facilmente hackeadas. Alerta pode servir de lição para o Brasil

Assim como no Brasil, a expansão de pontos wi-fi na China em 2014 apresentou forte crescimento. No gigante asiático, estima-se que hoje sejam em torno de 6,5 milhões de hotspots públicos de wi-fi, 5,2 milhões de operadores de wi-fi, 1 milhão de pontos públicos comerciais, 200 mil pontos de wi-fi oferecidos pelo governo e mais de 100 milhões de wi-fi residenciais. E boa parte destas conexões está vulnerável.

Relatório da Qihoo 360 aponta que 80% dos pontos de wi-fi domésticos podem ter a segurança quebrada em apenas 15 minutos, isso porque usam uma combinação simples de números e senhas consideradas fracas. Das 100 milhões de residências com wi-fi na China, apenas 3,3% podem ser consideradas seguras. Este percentual soma apenas 4 milhões de senhas de wi-fi consideradas robustas ou fortes.

O relatório também aponta que 3,06% das redes de wi-fi domésticas sofreram sequestros de DNS e 4,97% ataques Wi-Fi ARP (Adress Resolution Protocol) – protocolo usado para encontrar endereços de camadas de dados a partir de um endereço de camada de rede (IP). E o principal alvo são as transações bancárias. Isso porque cada vez mais os usuários de smartphones usam o aparelho para realizar transações financeiras. Na China, especula-se que os prejuízos causados por estas invasões representaram 50 bilhões de yuan no ano passado, com tendência de elevação para 2015.

O principal problema de segurança do segmento é o sequestro de DNS, que redireciona os usuários a sites de phishing, onde eles têm roubados dados e credenciais bancárias, por exemplo. Lá, os servidores maliciosos encontrados estão, principalmente, na Coreia (24,82%), Hong Kong (20,37%), China (18,08%), Estados Unidos (18,08%), Japão (12,18%), entre outros países (6,47%).

E, no top 10 wi-fi doméstico em risco, figuram as cidades chinesas, na seguinte ordem: Beijing, Shenzhen, Guangzhou, Shangai, Chongqing, Dongguan, Chengdu, Xi’an, Zhengzhou e Nanjing.

Para entender o panorama de segurança das redes wi-fi’s no Brasil, conversamos com os membros do Laboratório de Análise de Malware da PSafe:

Os servidores maliciosos que são usados para ataques no Brasil estão no País ou em outros mercados? Isso facilita ou dificulta o combate ao crime?

No Brasil e fora do Brasil. Quando estão fora do Brasil dificulta o processo de desativação.

Como garantir que a rede wi-fi doméstica seja considerada segura? O PSafe Total tem a função Wi-Fi Seguro. Por quê?

Três passos são importantes: alterar a senha de administração do roteador, configurar a criptografia na conexão e usar uma chave segura para a rede wi-fi.

Com qual frequência deve-se trocar a senha de acesso ao wi-fi para evitar exposições e vulnerabilidades desnecessárias?

Senha de wi-fi não é trocada com tanta frequência, já que você não fica digitando em vários lugares o tempo todo. O aconselhavel é não divulgar a senha para estranhos e em caso de visitas na sua casa o melhor é você mesmo digitar a senha ao invés de falar para o convidado.