semicondutores

Semicondutor para smartphones é extraído de plantas

Um elemento químico precioso para os smartphones, o germânio (Ge) funciona como semicondutor e foi extraído a partir de plantas.

Um elemento químico precioso para os smartphones, o germânio (Ge na tabela periódica) funciona como semicondutor e foi extraído a partir de plantas por cientistas na Alemanha. Fora atender a indústria eletrônica na construção de semicondutores, é utilizado na fabricação da fibra ótica e de dispositivos de visão noturna. Por ter um preço elevado, é frequentemente substituído por outros materiais.

Recarregue seu celular na planta de casa

O germânio está presente nos minerais germanita, ranierita, carvão, argirodita, entre outros, mas sua extração só é rentável nos dois primeiros. Sua forma em óxido é a mais comum, o óxido de germânio (GeO2), extraído do zinco e do carvão. É um metal sólido, duro, cristalino, lustroso e quebradiço, transparente no infra-vermelho, é um semicondutor utilizado em transistores de smartphones por ser capaz de transportar cargas elétricas de maneira extremamente rápida.

Agora, cientistas da Universidade de Freiburg, na Alemanha, descobriram uma forma de facilitar sua extração da natureza, utilizando plantas comuns como girassóis, milho e capim-amarelo. Por meio de mineração de plantas, os cientistas podem recolher as reservas de germânio acumuladas por processos fisiológicos normais. Isso devido às características do solo e água da região da universidade.

Para obter o germânio acumulado, os cientistas pretendem usar bactérias para provocar a fermentação e, assim, poder mobilizar o germânio. As plantas utilizadas para a produção de germânio podem ser reaproveitadas para biogás, fechando o ciclo de viabilidade econômica.