rp_sequestro-online_2014-06-27.jpg

Sequestro de dados preocupa empresas em todo o mundo

Sequestro de dados de sites tem sido uma das principais práticas dos ataques online de hackers, que preparam armadilhas cada vez mais complexas.

O sequestro de dados de sites tem sido uma das principais práticas dos ataques online de hackers, que preparam armadilhas cada vez mais complexas e diversificadas.  As empresas contabilizam prejuízo em 2014 e passam a investir pesado em segurança.

No início de ano, a Target, rede varejista norte-americana sofreu uma invasão cibernética, que ocasionou o roubo de informações pessoais de aproximadamente 70 milhões de clientes do site da companhia.

Após o episódio, 60% das principais empresas do Canadá, Estados Unidos, Reino Unido e Austrália aumentaram seus investimentos em segurança para se proteger de possíveis ataques de hackers.

Pedido de resgate online

Hackers exigem resgate para devolver acesso a base de dados

Um grupo de hackers conhecido como Rex Mundi pediu o pagamento de resgate à Domino’s Pizza, da França e Bélgica, no valor de U$$ 40 mil para devolver os dados de 600 mil clientes obtidos através de invasão dos servidores da empresa.

O grupo ameaça publicar informações como nome, endereço, e-mail, senhas, dentre outras informações, caso o pagamento não seja realizado. O Rex Mundi, em 2012, fez uma ação parecida com a empresa de crédito consignado AmeriCash Advance. Na ocasião, foram publicados milhares de dados de pessoas solicitantes de empréstimos financeiros.

Serviço fora do ar

Outro alvo recente da onda de sequestro foi o leitor de RSS Feedly que teve seu serviço interrompido por horas. Em comunicado, a empresa teve que dar explicações a seus usuários e relatou que os criminosos virtuais exigiram pagamento de resgate para que o serviço voltasse a funcionar.  A RSS Feedly nega ter pago qualquer quantia.

O ataque sofrido, como muitos que estão ocorrendo durante a Copa do Mundo a sites governamentais e de empresas que apoiam o Mundial, é o DDoS que sobrecarrega o servidor do site, tirando a página do ar.

Comércio eletrônico também é alvo

Um dos maiores e-commerces do mundo, o eBay, também sofreu com o ataque de cibercriminosos. Recentemente, a companhia informou que sua base de dados foi atacada, o que afetou cerca de 145 milhões de usuários de seu site.

O eBay solicitou que todos os usuários alterassem suas senhas. Em comunicado oficial, a companhia informou que a base de dados atacada não continha informações financeiras dos clientes.