rp_teclado_notebook_online_2014-06-09.jpg

Conheça 10 serviços que podem ser realizados pela internet mas o brasileiro ainda não sabe.

Há diversos serviços importantes que podem ser feitos na internet, mas que os brasileiros ainda não conhecem. Listamos 10 deles aqui.

O Brasil tem mais de 80 milhões de pessoas conectadas à internet. Mas, apesar de a cada nova pesquisa apontar que mais pessoas têm acesso à rede, o comportamento tecnológico do brasileiro ainda é tímido para alguns serviços que podem ser feitos online. Muitos não utilizam a rede por medo de ter dados fraudados, já outros não fazem nem ideia de que eles existam.

Listamos para você dez coisas que podem ser feitas online, mas que os brasileiros ainda não aderiram. Confira:

1 – Locadora virtual

Os chamados serviços de vídeos ‘on demand’ (sob demanda) são uma espécie de locadora virtual que permite assistir a filmes e séries. Mesmo o brasileiro estando cada vez mais conectado – e por mais tempo -, em uma pesquisa do IBOPE, a PayTVpop apontou que 79% dos internautas não conhecem o conceito que não para de crescer na internet.

2 – Consulta online grátis ao SPC

Muita gente ainda desconhece, mas já é possível realizar uma auto-consulta pela internet para saber se está com nome sujo no mercado. O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) disponibiliza o serviço através do site “Consumidor Positivo”. É possível até saber qual o débito e a empresa que levou o nome da pessoa para o cadastro, além de telefones e endereços para que possam ser feitas negociações e regularizar a situação.

3 – Delegacia virtual

A Polícia Civil oferece um serviço gratuito de registro de ocorrências via internet. Desta forma, não é preciso ir até uma delegacia para fazer o registro em casos de perda, furto, roubo ou acidente de trânsito com danos materiais, sem vítimas. Diversos estados já disponibilizam esta modalidade, mas é pouco utilizada ainda.

4 – Internet Banking

Apesar de estarem mais conectados, quando o assunto é acesso aos serviços bancários pela internet, o brasileiro ainda tem receio. A cada ano, o acesso ao internet banking tem crescido, mas a utilização poderia ser consideravelmente maior.

5 – Serviço de alerta de documentos roubados

Existe um serviço que alerta sobre documentos furtados, roubados e perdidos, mas ainda é pouco usado. Basta comunicar ao Serasa e, caso tentem utilizar o CPF indevidamente para alguma transação comercial, a instituição emite um alerta a lojas e estabelecimentos comerciais.

6 – Audiências online

O Procon disponibiliza uma ferramenta que ajuda a resolver vários casos: a audiência virtual. Um levantamento feito pelo órgão apontou que o número equivale a somente 1,6% do total de audiências realizadas, já que, até março de 2013, houve 15.353 atendimentos com a presença do consumidor e do fornecedor fisicamente. Há processos que, dependendo da complexidade do caso, é preciso ter mais de uma audiência e que a internet pode contribuir para agilizar.

7 – Supermercado pela internet

Grandes redes de supermercados também disponibilizam seus produtos pela internet, mas a ideia de fazer compras online e delivery ainda vem acompanhada de receio. Apesar do crescimento das transações crescerem a cada ano.

8 – Agendamento de consultas online

Existem alguns serviços de empresas privadas, e até de planos de saúde, que agendam compromissos médicos como consultas pela internet. Mas é algo que ainda é pouco utilizado por médicos e pacientes. A Unimed e a Sim Doctor são alguns que já oferecem esta opção de serviço online.

9 – Serviços essenciais via internet

Algumas concessionárias de serviços essenciais disponibilizam atendimento pela internet para resolver diversos problemas, sem ter que ficar por horas no telefone ou nas agências físicas. Dentre eles estão a emissão de segunda via de contas e regulação dos serviços de luz e água. Também possível acessar serviços públicos de prefeituras para solicitar, por exemplo, trocas de lâmpadas nas ruas.

10 – Compra de roupas femininas pela internet

É fato que as mulheres estão cada vez mais comprando pela internet. Segundo pesquisas do site Mercado Livre, produtos tecnológicos (87%) e artigos de moda (48%) são preferências. Esse número poderia ser muito mais expressivo se as mulheres não tivessem tanta insegurança de comprar “gato por lebre”, especialmente roupas pela internet. ?