celular-modular-smartphone-fairphone-ara

Smartphone modular: o que é e como funciona

Já ouviu falar em smartphone modular? Com ele, será possível personalizar o seu celular com as peças que quiser e sem precisar trocar o aparelho todo!

Você já ouviu falar em celulares modulares? Esse conceito de dispositivos, introduzido primeiramente pela Google com seu “Project Ara”, tem como principal característica a personalização: o usuário é capaz de montar e desmontar seu smartphone como bem desejar e, assim, evitar que ele fique ultrapassado em relação às últimas tendências. Apesar de não encontrarmos muitos exemplos dessa ideia no mercado, uma empresa holandesa anunciou que irá lançar no final do ano o seu primeiro celular modular, o FairPhone 2.

O dispositivo será muito semelhante aos conceitos de smartphone modular já conhecidos. Assim, ele permitirá que o usuário desmonte e encaixe peças diferentes no seu aparelho, como se fosse um “LEGO”, atualizando as configurações técnicas e possibilitando um dispositivo ideal de acordo com as suas necessidades. Quer mais desempenho, mas não quer comprar um celular novo? Sem problemas, basta trocar o processador e a memória RAM e deixar o resto intacto!

Quem inovou e trouxe esse conceito em primeira mão foi a gigante da tecnologia Google. Em 2013, o “Project Ara” – como foi chamado – prometeu um celular com endoesqueleto de metal que teria os outros componentes apenas “encaixados” e substituíveis da maneira que o usuário bem entender. Entretanto, foi só no mês passado que finalmente vimos um protótipo do projeto funcionar e cumprir as promessas feitas há dois anos.

Mesmo assim, a Google não definiu nenhuma expectativa de tornar comercial o seu protótipo. Enquanto isso, a holandesa Fairphone já prometeu o seu dispositivo para o final deste ano na Europa. Seu preço divulgado é um pouco salgado, € 525 (quase R$ 1.840 na conversão direta), mas é por uma “boa causa”. Para a empresa, um celular como esse duraria por muitos anos e substituiria várias trocas de aparelhos. Assim, ao invés de comprar o último smartphone lançado no mercado e com inúmeras funções, bastaria comprar as peças separadas e personalizar seu dispositivo da forma que melhor atender às demandas do usuário.

O que achou? Compraria um celular desses? Deixe sua opinião nos comentários!