rp_busca-segura-psafe-protege-clikseguro-indicador-links-seguros_2013-09-06.jpg

Spams e fraudes na internet: como identificar para não cair em golpes

Quem nunca abriu o navegador de internet e fez uma busca através de um site como o Google? Esta prática é muito comum e todo mundo faz isso […]

Quem nunca abriu o navegador de internet e fez uma busca através de um site como o Google? Esta prática é muito comum e todo mundo faz isso praticamente todos os dias. O que nem todas as pessoas sabem é que, nos resultados da busca, escondem-se vários golpes, que vão desde spams a fraudes de verdade, que podem causar perdas financeiras.

Para saber quais sites são confiáveis, uma boa ideia é utilizar um indicador de links seguros, como o PSafe Busca Segura. Porém existem outras técnicas acessíveis que devem ser utilizadas para manter a sua segurança digital.

Spams

Muita gente acredita que os spams são incômodos, mas não causam algum mal verdadeiro. Isto nem sempre é verdade, já que os spammers têm a capacidade de infectar PCs, inserindo malwares que vão roubar dados pessoais. Por isso, evitar os spams é uma boa tática para não cair em golpes.

Sendo assim, a primeira coisa que você deve saber é que os primeiros resultados da busca nem sempre são os melhores, tanto na questão de segurança quanto no tocante à utilidade. Observe o endereço do site e verifique se ele tem um domínio “.com”, “info” ou ainda domínio de países comuns. Estes são os principais alvos de spammers e, se você digitar o endereço errado, pode ser redirecionado para um spam e não para a página que você precisava.

Outro ataque acontece através dos chamados encurtadores de endereços, utilizados em redes sociais. Se houver um spam, o encurtador vai encaminhar o internauta para um site falso.

Portanto, preste atenção se o seu navegador ou o indicador de links seguros PSafe Busca Segura indica que o site é malicioso. Neste caso, o melhor é não acessar estas páginas. Além disso, duvide de sites que oferecem descontos imperdíveis e, antes de fazer uma compra online, procure sobre a loja, tente encontrar um endereço físico e um e-mail. Se o e-mail for comum, de uma conta de Yahoo, Gmail ou Hotmail, talvez seja melhor pesquisar um pouco mais sobre a loja. Outra dica bem importante é atentar para os textos do site. Se contiverem muitos erros de português, provavelmente o site é falso ou não é confiável.

Você também deve observar que o fato de ser um site comum não é sinônimo de segurança. O relatório de segurança de 2013, realizado anualmente pela Cisco, demonstrou que os anúncios divulgados online são 182 vezes mais perigosos do que os sites de pornografia. O alerta também é máximo quando o site possui várias vezes a palavra grátis em destaque ou o logotipo da empresa. Geralmente estes itens indicam que a página não é confiável.

Buscas mais propensas a spams

O tipo de busca feita pelo internauta também pode indicar se há mais ou menos chance de spams. Entre as buscas mais perigosas estão as consultas a relatórios de crédito, seguros, viagens, letras de música, protetores de tela e vídeos.

Na questão dos relatórios de crédito, o melhor é ir diretamente ao site da agência, que é a fonte mais segura. Para procurar sobre seguros e viagens, informe-se sobre sites mais seguros e prefira acessar sempre estes.

Já para os resultados de músicas, vídeos e protetores de tela, o cuidado deve ser maior, já que o usuário tende a baixar estes arquivos – e junto com eles pode vir algum vírus ou ameaça.

Tomar mais cuidado com buscas feitas em período de compras online e desconfiar de sites cujas imagens não abrem são outras dicas importantes.

O que fazer

Além de observar os detalhes já citados, usar um indicador de links seguros, como o PSafe Busca Segura, é uma ótima ideia. Ele vai indicar quando um site for malicioso, dificultando o acesso a spams.

Você também pode optar por fazer a busca em sites de buscas especializados, que facilitarão que você encontre o que deseja e ainda trarão sites mais confiáveis na lista de busca.