rp_varejo_2014-05-27.jpg

Crimes virtuais aumentam no varejo. Sistemas de gestão infectados

Aproximadamente 1,5 mil pontos de venda, sistemas de contabilidade e outras plataformas de gestão de varejo foram infectados.

Aproximadamente 1,5 mil pontos de venda, sistemas de contabilidade e outras plataformas de gestão de varejo foram infectados com programas maliciosos em uma operação global, atingindo 36 países, inclusive o Brasil.

Os sistemas invadidos foram agrupados em uma botnet apelidada de Nemanja pela empresa IntelCrawler, empresa especializada em crimes digitais que descobriu o problema. Os pesquisadores acreditam que a origem dos ataques seja a Sérvia e afetaram lojas de varejo em diversos países, como Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália, China, Rússia, Brasil, México, Argentina, Áustria, Bangladesh, Bélgica, Chile, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, França, Alemanha, Hong Kong, Índia, Indonésia, Israel, Itália, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Polônia, Portugal, África do Sul, Espanha, Suíça, Taiwan, Turquia, Uruguai, Venezuela e Zâmbia.

Programado para trabalhar com diferentes softwares, o Nemanja comprometeu uma enorme variedade de sistemas de pontos de venda, software de gestão de mercadorias, lojas de alimentos e softwares de contabilidade populares nos diferentes países. O malware é capaz de coletar informações do cartão de crédito, interceptar credenciais dos sistemas que permitem acesso a outros sistemas e base de dados com informações pessoais e financeiras.

A tendência é que criminosos mirem cada vez mais pontos de venda automatizados, não apenas de grande cadeias, além de sistemas de backoffice e caixas registradoras eletrônicas. É preciso cuidado ao escolher os endereços onde realiza suas compras.