lf_1

Veja como você pode ajudar o Luiz Fernando a realizar seu sonho

Seja um dos anjos da guarda do Luiz Fernando! Conheça a história e veja a trajetória de luta desse brasileiro que está pondo o futuro nas suas mãos.

Aos 13 anos, Luiz Fernando decidiu que queria ser piloto de avião, e começou a se preparar para a Epcar (Escola Preparatória de Cadetes do Ar). Aos 15 fez a prova, mas não passou. Com uma bolsa no cursinho, não desistiu. Na segunda tentativa, em 2010, foi aprovado, mas no exame de vista, foi reprovado. Aí, teve que desistir do seu sonho, mas esta história ainda pode ter um final feliz!

Descartado o ingresso na Epcar, Luiz Fernando fez a prova para o Cefet-RJ e passou em primeiro lugar no curso de eletrônica. Isso fez com que ele se animasse novamente. Dentro do Cefet, descobriu o mundo científico, pelo qual se apaixonou. E de todas as matérias, astronomia foi a que mais o encantou.

Pelo fato de gostar de engenharia e ter adorado astronomia, resolveu casar as duas coisas, e veio a ideia de estudar Engenharia Aeroespacial. Mas sua intenção era estudar fora do País, pois os americanos dominavam esse mercado há cinco décadas.

O recomeço

Em 2011, Luiz Fernando Leal, aos 17 anos, decidiu fazer o vestibular americano, mas ele não sabia NADA de inglês. Seus pais só puderam pagar seis meses de curso, pois não tinham condições de ajudá-lo financeiramente. Daí em diante, durante dois anos, ele estudou sozinho. Estudava no ônibus, no intervalo das aulas, no almoço, acordava às 5h para ouvir a rádio CNN e treinar a audição, via filmes e séries sem legenda, devorou a gramática, pegou um livro de apoio emprestado e fez um clube de amigos para conversação. Ou seja: investiu muito nisso ao longo de dois anos para estar pronto para as provas em novembro de 2013.

Todas as suas avaliações para do vestibular foram feitas em inglês. Além disso, a avaliação norte-americana tem um processo diferente da brasileira, eles querem saber como é a vida do aluno com a família, se participa de projetos sociais, se tem algum projeto científico, o perfil certo para estudar naquele país etc, ou seja, sua vida fora da faculdade é extremamente relvante. Não basta a nota para aprovação, é preciso ir muito além disso.

A conquista

Em janeiro de 2014, Luiz Fernando recebeu a notícia que passou para três universidades e, na que escolheu para estudar (Florida Institute of Technology), ganhou uma bolsa de R$ 48 mil para pagar a anuidade.

Ele ficou radiante, mas aí começou uma nova etapa em sua vida. Luiz Fernando descobriu que, para conseguir a vaga, teria que confirmar que poderia pagar a anuidade integral de R$ 110 mil, e também se manter por lá, gastando R$ 3 mil por mês com moradia, alimentação e plano de saúde. No total, com R$ 90 mil por ano, ele conseguiria a vaga nos EUA. Mas como pagar isso se seus pais não tinham como ajudá-lo?

A luta

Ele começou uma campanha de crowdfunding e arrecadou R$ 30 mil em dois meses. Em contato com a universidade, chegou a pensar que poderia abater os custos de moradia trabalhando como “zelador” do alojamento, mas isso logo se mostrou infundado. Desesperado, sabia que teria até julho de 2015 para conseguir todo o dinheiro e garantir a vaga. E o tempo está acabando.

Para não ficar parado, entrou como bolsista Prouni na PUC (onde estuda Engenharia de Computação no CTC/PUC-Rio) e não podia mais se dedicar tanto ao crowdfunding por causa da carga de estudos no Brasil. Perder a bolsa da PUC estava fora de questão. E quase acabou desistindo de seu sonho. Chegou a falar para os doadores que não usaria mais o dinheiro. Mas poucos aceitaram a grana de volta.

Como você pode ajudar

Agora, a poucas semanas do prazo, ele precisa arrecadar esse dinheiro, para que possa realizar o seu maior sonho. E se não conseguir agora, não pode mais nem tentar, pois eles só aceitam alunos recém-formados do ensino médio; o que não é mais o seu caso.

Ele precisa conseguir ao menos os R$ 60 mil iniciais para voltar a sonhar. Conseguindo, ele já pode começar as aulas em setembro. O dia 20 de julho é a data limite para contatar a universidade, dar entrada no visto, comprar passagem e garantira a vaga que ele conseguiu depois de tanto esforço. É ou não é de se emocionar? E você pode ajudar. Mande um e-mail para astronando@gmail.com e dê uma força para este talentoso e lutador brasileiro.