rp_novo-virus-facebook_2014-06-11.jpg

Vírus distribuído pelo Facebook fornece acesso a dados pessoais do internauta

O Facebook é a principal rede social quando os hackers pensam em distribuir vírus e ameaças. Desta vez, o vírus está sendo propagado através de um vídeo e 800 […]

homne do facebook, principal rede social do mundo

O Facebook é a principal rede social quando os hackers pensam em distribuir vírus e ameaças. Desta vez, o vírus está sendo propagado através de um vídeo e 800 mil usuários já caíram no golpe. O problema é ainda maior quando se avalia a potencialidade de infecção do malware: 40 mil ataques por hora.

Quando infecta o computador, o hacker tem acesso a todas as informações do navegador do internauta, inclusive as senhas salvas. Neste momento, seguir as recomendações de segurança digital da PSafe e saber como se proteger é fundamental para não ser mais uma vítima.

 

Como identificar a ameaça

A nova ameaça está se propagando principalmente através do navegador Google Chrome. Mas deixar de usar este navegador não é garantia de que não será infectado. O melhor é entender como a ameaça ataca e evitar ser mais uma vítima.

O programa malicioso é distribuído através de um vídeo pelo Facebook. O perfil do usuário infectado envia automaticamente (e sem o consentimento do internauta) um post com um link para o vídeo, sendo que vários amigos são marcados na publicação. Quando alguém clica no link, é indicado o download de uma extensão para que o vídeo possa ser visto. Se o usuário aceitar, o PC é infectado.

A partir do momento da infecção, o hacker pode acessar todas as informações do navegador e até mesmo sequestrar contas do Facebook, o que ajuda a aumentar o total de pessoas infectadas, já que existe o repasse do golpe para os amigos do usuário.

Segurança

A remoção da ameaça do computador não é algo simples de se fazer, já que este vírus consegue impedir o acesso a algumas configurações do browser e também não oferece acesso a sites de antivírus.

Devido a isto, representantes do Google se pronunciaram, informando que a empresa já está trabalhando para evitar o ataque, sendo que alguns itens foram retirados do Chrome Web Store. Já os representantes do Facebook também reconhecem que o ataque está sendo feito e afirma que há uma estratégia de remoção dos links infectados.

Mesmo assim, é recomendado que o internauta não acesse sites desconhecidos e nem clique em links estranhos e não confiáveis. Esta é a melhor maneira de evitar ser vítima deste golpe.