rp_Wi-Fi-Grátis_2015-01-07-11-23-37.jpg

Wi-Fi Grátis? Saiba o que pode estar por trás

Evite ser invadido quando uses redes Wi-Fi abertas. Clique e saiba mais.

Já falamos por aqui algumas precauções que devem ser tomadas ao acessar redes Wi-Fi públicas. No entanto, mesmo que você siga a risca todas as orientações ainda pode fornecer uma série de informações para os administradores da rede. Saiba como isto acontece.

Esqueça invasão de hackers ou vírus, é você mesmo que permite ser "invadido". Isso ocorre principalmente em redes instaladas em locais com grande aglomeração de pessoas, como em shoppings.

Muitas vezes, ao entrar na rede aberta é preciso completar um cadastro para liberar o acesso à internet. Neste cadastro já vão algumas informações importantes como e-mail, telefone e data de nascimento.

Com o cadastro concluído e a internet liberada, você passa a ser monitorado o tempo em que estiver conectado à rede.  Com isso o shopping pode ver por quais lugares transitou, quais são as lojas em que você entrou e em qual parte do centro comercial está dando maior e menor movimento.

Claudio Sá de Abreu, fundador da ViaLink, empresa especializada em infraestrutura de redes, explica como isso é possível. "Existem técnicas que permitem que a posição de uma pessoa seja determinada, aproximadamente, a partir do sinal emitido por seu dispositivo móvel. Outra forma é colocar vários Access Points, que vão monitorando por onde um determinado aparelho móvel está passando", diz o especialista.

No vídeo (em inglês) é possível ver como funciona na prática.

Entrega de dados voluntária

O blog El Android Libre fez um alerta um tanto quanto assustador. Em certos cadastros, principalmente os que pedem vínculo com a conta do Facebook, os administradores da rede conseguem ainda mais informações, como os contatos e até os interesses das pessoas através das páginas curtidas.

Por quê?

Claro que tudo isto teria um motivo. Se você chutou publicidade está certo. Com essas informações a administradora do centro comercial pode mandar uma publicidade com uma promoção "arrasadora" para seu smartphone enquanto estiver passando na frente de determinada loja. Com o lugar certo e a hora certa, as chances de influenciar na decisão de compra do consumidor são maiores.

Como se proteger

Nesse caso especificamente, talvez a melhor maneira para não fornecer essas informações é evitar se conectar em redes Wi-Fi que seja obrigatório o cadastro prévio, dando preferência às conexões 3G ou 4G.

"Onde essas informações [cadastro] ainda não são solicitadas, os usuários devem ter, no mínimo, os sistemas de proteção normais em seus dispositivos, como antivírus e firewall", explica Claudio.