rp_artic-monkeys-fora-youtube_2014-07-03.jpg

YouTube bloqueia gravadoras que se recusam a pagar pelo serviço

Algumas gravadoras independentes têm se recusado a assinar o novo termo de serviço do YouTube, podendo ser retiradas do site. Entenda o por quê.

Artic Monkeys, Adele e outros artistas podem desaparecer do Youtube

O YouTube, do Google, informou que vai lançar um serviço pago de streaming de música. O anúncio aconteceu no momento em que algumas gravadoras independentes têm se recusado a assinar o novo termo de serviço que o site pretende lançar.

Como consequência, muitas já estão começando a ser bloqueadas. O temor dos internautas é que o serviço pago comece a afastar vídeos do YouTube, diminuindo o alcance do sempre eficiente site.

Administradores do site informaram que estão recebendo apoio e que já firmaram parecerias com grandes gravadoras. Mas, empresas menores, como a XL Recordings (responsável por Adele e The xx) e a Domino (por trás do Arctic Monkeys), não aceitaram. Elas afirmam que o Google está querendo pagar muito pouco, embora o YouTube afirme que os valores são justos e condizentes com o resto da indústria.

Por causa da atitude, algumas empresas estão pedindo ajuda à União Europeia para discutir se o Google está abusando de sua posição dominante no mercado de site de vídeos.

O YouTube afirmou que o serviço pago começará a ser testado nas próximas semanas, enquanto o lançamento para o público acontecerá até o fim do verão americano (entre junho e setembro no Brasil). O valor da assinatura ainda não foi divulgado.

"Estamos adicionando funcionalidades no YouTube  para trazer aos nossos parceiros de música novas fontes de receita, além das centenas de milhões de dólares que o portal já gera para eles a cada ano", disse o YouTube em um comunicado recente.

Entre os artistas que dão muitos cliques ao site e que podem ter suas músicas retiradas do YouTube com a nova medida estão Jack White, Adele e Artic Monkeys.

Segundo a companhia, os usuários não terão prejuízo com a medida, já que o novo serviço permitirá aos utilizadores, em troca do pagamento de uma taxa mensal, assistir a vídeos e ouvir música sem interrupções de anúncios. A modalidade funcionará em qualquer dispositivo, inclusive sem ligação à internet, em páginas com mais de um milhão de acessos.