Falhas de segurança digital: Conheça as 7 mais comuns em PMEs

Conheça as 7 falhas de segurança digital mais comuns nas pequenas e médias empresas brasileiras. Descubra como se proteger de ataques.

De acordo com um levantamento feito pela PSafe, 3 em cada 4 empresas já tiveram os seus dados vazados. Ou seja, as falhas de segurança digital afetam boa parte das empresas no Brasil. 

Por isso, preparamos este post com 7 das mais comuns falhas de segurança em TI nas organizações em nosso país. Assim, você não precisa sofrer as dores de cabeça de ter as vulnerabilidades de suas infraestruturas digitais exploradas por hackers, por descobrir apenas quando for tarde demais. 

Confira as 7 principais falhas de segurança digital e como proteger sua empresa

As consequências das falhas de segurança digital podem ser devastadoras para uma pequena e média empresa. Entre as principais estão: 

  • Extorsão e chantagem por conta de dados sequestrados;
  • Fraudes financeiras usando dados da organização;
  • Multas da LGPD, que começam a ser aplicadas ainda em agosto;
  • Mancha na reputação da empresa tanto para clientes quanto para outras organizações.

Para evitar esses problemas, confira os 7 erros mais comuns.

1 – Achar que cibersegurança é custo e não investimento

O mundo digital traz riscos. Não é à toa que grandes empresas do mercado têm departamentos inteiros focados na segurança das informações. 

A lógica é a mesma aplicada em seguros ou na manutenção de equipamentos. É um gasto menor hoje, que pode poupar muita dor de cabeça e dinheiro amanhã

2 – Achar que nunca vai acontecer com a sua empresa

Para as pequenas empresas, vazamentos de dados também são um problema, apesar de parecer que não. Afinal, o que é mais fácil, roubar um banco ou uma loja na esquina? Grandes empresas são como bancos, com sua infraestrutura e o investimento massivo em segurança digital. Logo, trazem um grande retorno, mas são muito mais difíceis de entrar. 

Já as pequenas empresas apresentam um alvo mais fácil e, possivelmente, mais atraente. Por isso, uma das falhas de segurança digital mais preocupantes, é achar que a sua organização não será um alvo. Confira abaixo números que refletem os danos dos ciberataques e suas possíveis consequências:

Números sobre a cibersegurança no Brasil em 2021.

3 – Não contar com uma solução adequada

Esses dados colocam as pequenas empresas em uma posição difícil. Na prática, não existe tempo, dinheiro, pessoal ou mesmo expertise para ter uma infraestrutura de segurança completa. 

A resposta para isso é adotar uma solução automatizada, que atue de forma proativa e preventiva, como o dfndr enterprise, criado especificamente para proteger pequenas e médias empresas, encontrando as falhas de segurança nos seus sistemas de informação. Entre as suas principais funcionalidades existem: 

  • Detecção e bloqueio automático de ameaças, como links maliciosos (phishing), malwares e ransomwares;
  • Verificador de vazamentos;
  • Testes de invasão;
  • Segurança de redes, Wi-Fi e cabo, encontrando redes vulneráveis ou comprometidas;
  • Relatórios de riscos das ameaças bloqueadas
  • Calculadora de riscos de vazamentos de dados;

A prevenção é o melhor caminho, já que os próprios hackers são cada vez mais eficientes. Ao invés de um invasor se focar em um único alvo, ele usa a inteligência artificial e outras soluções para atacar diversos sistemas ao mesmo tempo. Portanto, a melhor resposta é usar a tecnologia para combater a tecnologia

4 – Não ter um mapeamento completo das vulnerabilidades

Outra grande falha de cibersegurança é não cobrir todas as possíveis vulnerabilidades. Afinal, tanto as pessoas quanto os dispositivos podem trazer grandes riscos. 

Por exemplo, com a pandemia e o crescimento geral do home office, muitas pessoas estão trabalhando em casa. Segundo outro estudo da PSafe, metade dos brasileiros não têm nenhum tipo de proteção no Wi-Fi. Ou seja, é um convite para qualquer pessoa mal intencionada entrar na rede do colaborador e colher informações da sua empresa. 

Para lidar com esse tipo de problema, o dfndr enterprise conta com soluções como a segurança de rede, que identifica todos os dispositivos conectados à sua rede e alerta sobre conexões vulneráveis. Além disso, a solução já automaticamente bloqueia qualquer Wi-Fi comprometido, minimizando assim riscos de invasões. A PSafe tem outras ferramentas gratuitas como a calculadora de riscos, que ajuda a estimar a vulnerabilidade geral da empresa em sofrer um vazamento de dados. 

5 – Esquecer do lado humano

Uma falha muito grande é não considerar os colaboradores como uma vulnerabilidade. Dentro do dfndr enterprise, você pode gerenciar a segurança digital de seus colaboradores, sabendo se eles foram expostos a ameaças e também se já tiveram suas credenciais vazadas. 

Através da função credenciais vazadas, o dfndr enterprise monitora dados possivelmente roubados e que sejam vendidos na internet aberta e até mesmo na Deep Web e Dark Web. Ao detectar o vazamento de credenciais, o administrador da conta pode notificar o colaborador imediatamente para que ele troque sua senha. A checagem de credenciais vazadas, do dfndr enterprise, também está disponível gratuitamente através do site Verificador de Vazamentos. Através dele, é possível saber quantas contas relacionadas a um domínio já foram expostas na Internet.

Um detalhe importante é não esquecer os colaboradores que foram desligados da empresa. Seus dispositivos podem ainda estar ativos ou suas credenciais válidas. Não controlá-las, deixa as portas da empresa totalmente abertas para uma invasão. 

Além disso, vale destacar que nem o sistema, nem quem o opera consegue ver os arquivos ou a navegação dos colaboradores. Todos os bloqueios à ameaças são feitos automaticamente e sem relacionar ao colaborador impactado. Através da anonimização dos dados, há muito mais privacidade para os usuários. Todas as informações coletadas e exibidas aos administradores são apenas das ameaças e não das pessoas. 

6 – Não atualizar seu próprio conhecimento

Se você é um CEO de uma startup, por exemplo, ou qualquer profissional que não tenha um conhecimento profundo sobre cibersegurança, não tem problema. Afinal, essa não é sua função. Porém, é necessário conhecer o básico, para saber quais ciberataques são os mais populares. Entre as ameaças virtuais mais perigosas para qualquer empresa temos: 

  • Phishing;
  • Malwares;
  • Ransomwares;
  • Invasão a redes Wi-Fi;
  • Vazamento de dados ou roubos de identidade. 

Portanto, vale a pena sempre ficar de olho no nosso blog, para se manter atualizado nas tendências do mercado e como os criminosos exploram erros de segurança da informação. 

7 – Atuar apenas quando encontrar uma ameaça

Por fim, o último grande problema de segurança da informação comum nas empresas é atuar apenas de modo reativo. Ou seja, entrar em ação somente após descobrir que ocorreu um ataque. Esse tipo de resposta limita muito as suas opções, basicamente apenas a controlar os danos e investigar para impedir que ele ocorra novamente. Logo, o ideal é que ele nunca aconteça. 

Imagine, por exemplo, um ransomware. Nesse ataque, os dados da empresa são criptografados pelos criminosos e liberados apenas com o pagamento de um resgate. O mais recomendado é não pagar, já que não existe nenhuma garantia de que os dados serão liberados. Afinal, nada impede os criminosos de exigir outro resgate. Confira no vídeo abaixo como o dfndr enterprise te protege desse problema: 

É por isso que soluções como o dfndr são totalmente focadas na prevenção, com as funcionalidades que mencionamos acima. Mais um ótimo exemplo é o teste de invasão, também conhecido como pentest ou penetration test. Seu objetivo é simular ataques à sua infraestrutura com frequência, de modo que você possa encontrar vulnerabilidades antes dos criminosos. 

Como profissional de uma empresa, seja você CEO, CTO ou qualquer outro cargo relacionado, você certamente tem noção da importância da cibersegurança. Mesmo assim, ainda é possível que você cometa algumas dessas falhas de segurança digital. A LPGD e suas multas são grandes motivadores, mas a lei existe por um motivo, proteger os seus dados e os dados dos seus clientes.

Quer saber como corrigir essas falhas sem precisar ser especialista no assunto? Conheça o dfndr enterprise e descubra como!