Alerta! Golpe que promete recarga grátis no celular já atingiu mais de 26 mil pessoas

Armadilha está se espalhando rapidamente pelo WhatsApp. Saiba como se proteger!

Mais uma vez, hackers escolheram o WhatsApp para espalhar um novo golpe que promete recarga grátis de R$70,00 no celular. Em menos de 24 horas, o dfndr security, aplicativo gratuito de segurança, já realizou mais de 26 mil bloqueios à armadilha. E os números não param de subir.

Entenda como funciona o golpe da recarga grátis

O golpe é compartilhado através de um link pelo WhatsApp e, ao tocar na mensagem, o usuário é encaminhado a uma página falsa. Para receber a suposta recarga de crédito no celular, ele precisa compartilhar o link da armadilha com seus contatos do WhatsApp até que uma barra seja completada.

“Essa prática tem se tornado cada vez mais comum por cibercriminosos, pois permite que o golpe ganhe escala rapidamente, impactando um grande número de usuários das mais diversas regiões. Para se ter uma ideia, apenas no mês de abril até o momento, identificamos e bloqueamos mais de 15 golpes diferentes envolvendo compartilhamento via WhatsApp” comenta Emilio Simoni, Diretor do dfndr lab, laboratório de segurança digital.

Para passar credibilidade e incentivar o compartilhamento da vítima com sua rede de amigos, o link malicioso exibe comentários de falsos usuários que alegam terem recebido o benefício, como: “Nunca mais compro crédito, agora só convidando amigos”; “Consegui de primeira e já fiz várias vezes”, “Obrigado, compartilhei com todos os meus amigos e já ganhei”. Ao final do golpe, o usuário é induzido a baixar um app e, a cada nova instalação, o hacker ganha dinheiro com isso.

Como se proteger

Para não cair em armadilhas como esta, é essencial manter um antivírus instalado no celular. O dfndr security, por exemplo, além de oferecer todas as funções de um antivírus, ainda conta com a tecnologia de anti-phishing, cujo sistema é capaz de detectar se um link recebido no WhatsApp, Facebook Messenger ou por SMS é uma ameaça e avisar o usuário instantaneamente.

“Além disso, é importante que o usuário crie o hábito de se certificar em fontes confiáveis, antes de compartilhar com amigos, que as promoções são verídicas”, afirma Simoni. Essa checagem pode ser realizada pelo site do dfndr lab, no serviço gratuito de verificação de links, que diz na hora se um link é ou não confiável.