rp_fonte_2014-09-01.jpg

As fontes mais usadas no mundo e suas origens

Conheça a história das fontes tipográficas mais famosas de todos os tempos

Existem várias possibilidades na hora de se escrever um texto. As fontes é que vão dar o estilo visual para a escrita, e podem variar de acordo com o objetivo da pessoa. Elas são tão importantes nas nossas vidas que costumam até receber homenagens.

A empresa Workman Publishing embarcou nessa paixão pelas fontes, e criou o calendário Just Type 2015, feito para quem é fã de tipografia. Cada um dos meses homenageia uma fonte famosa diferente: fevereiro, por exemplo, destaca a Matrix, primeira fonte criada em um Mac. Já o mês de abril é o da Caslon, que foi usada na impressão oficial da Declaração de Independência dos Estados Unidos.

O calendário foi colocado à venda nos Estados Unidos pelo valor de US$ 14. No Brasil, a Amazon faz entregas em algumas localidades.

As fontes mais queridas

A ideia da Workman de publicar um calendário com fontes inspira os apaixonados pelo design de textos a relembrar outras fontes famosas e bastante usadas no mundo.

O site Just Criative lançou, recentemente, um ranking com as sete fontes mais utilizadas por web designers em todo o planeta. Confira:

– A campeã é a fonte Helvetica. Ela é a mais explorada por profissionais (e também por não profissionais) em design gráfico. Embora alguns a elogiem, outros acreditam que ela é espaçada com muita força.

A Helvetica foi criada em 1957 por Max Miedinger e Eduard Hoffman, no Haas'sche Schriftgiesserei em Münchenstein, na Suíça. Miedinger quis desenvolver uma nova tipografia que pudesse competir com o aclamado Akzidenz-Grotesk no mercado suíço.

Originalmente batizado de Neue Haas Grotesk, seu design foi baseado no Schelter-Grotesk e Normal Grotesk da Haas. O objetivo do novo design foi de criar uma tipografia neutra, clara e sem significados intrínsecos na sua forma, além de poder ser usado em uma gama de sinais.

– A segunda mais usada é a Trajan. Ela é muito utilizada em cartazes de filmes de Hollywood, e é sempre lembrada em eventos ligados a religião e casamentos.

Desenhada por Carol Twombly, em 1989, para os sistemas da Adobe, a Trajan é caracterizada como glífica, ou seja, é uma fonte baseada em inscrições esculpidas na rocha. E, por ser inspirada, principalmente, nos textos da base da Coluna de Trajano (época em que não havia letras minúsculas) a Trajan é caracterizada como Versalete, já que suas letras minúsculas são versões em tamanhos menores das letras capitulares.

– Logo depois vem a Garamond. Embora existam muitas versões desse estilo, a mais usada hoje é a Adobe Garamond.

Criada em 1989, a Garamond é uma fonte muito usada em revistas, livros, sites e corpos longos de texto. Ela foi, recentemente, nomeada como a segundo melhor fonte do mundo (após a Helvetica) por uma publicação alemã.

– No quarto lugar está a Futura, uma fonte que surge muitas vezes em grandes ecrãs, logotipos, anúncios de empresas e em livros em que é necessário um texto pequeno.

A fonte foi desenhada em 1927 por Paul Renner, baseada em princípios rigidamente geométricos, inspirada nos ensinamentos da Bauhaus. Ela se tornou uma das fontes mais populares do século 20, especialmente nas décadas de 1950 e 60, devido à sua limpeza e impacto.

– A quinta posição ficou com a Bodoni, uma fonte sob medida para títulos, textos e logotipos decorativos. A Bodoni tem uma estrutura subjacente estreita, com planos, destacando contraste entre traços grossos e finos, e uma construção geométrica global que a torna uma fonte muito estética.

A Bodoni foi criada por Giambattista Bodoni, considerado um dos maiores tipógrafo do século 18.

– A Bickham Script Pro, usada principalmente em ocasiões e convites formais, ocupa o sexto lugar. Apesar de ser bastante utilizada, ela é uma das fontes mais odiadas do mundo, já que em algumas situações, fica difícil a sua leitura. 

Ela foi criada em 1997, pelo calígrafo Richard Lipton. Ele buscou explorar as possibilidades de arredondamento das letras, escrita que era muito feita à mão no século 18. O objetivo era dar mais elegância aos textos.

– Fechando a lista, a família de fontes Frutiger. Ela não é nem estritamente geométrica nem humanista na construção. Suas formas são projetadas de modo que cada característica individual seja rapidamente reconhecida. Tal distinção faz com que ela seja uma ótima escolha para sinalização e exibição de trabalho. É frequentemente usada em logos na web.

A Frutiger nasceu em 1968 para a sinalização do aeroporto Internacional Charles de Gaulle, em Roissy, na França, que precisava de um novo e moderno sistema de sinais.