rp_marissa-mayer-yahoo_2014-07-21.jpg

Entenda os novos rumos do Yahoo

Entenda os novos rumos tomados pela Yahoo depois da chegada de Marissa Mayer.

 

Marissa Mayer Yahoo

O Yahoo tem passado por mudanças profundas nos últimos dois anos, quando Marissa Mayer assumiu o cargo de CEO da empresa. De lá para cá, aquisições, mudanças em sites e ferramentas de e-mail, e uma nova filosofia de trabalho. Apesar de a companhia ter apresentado uma queda de 19% em seu lucro no segundo trimestre de 2014, o pensamento é otimista e voltado para o futuro.

A principal aquisição feita desde a chegada de Marissa foi o Tumblr, operação fechada em maio de 2013, por US$ 1,1 bilhão. A CEO afirmou que os funcionários continuariam trabalhando de forma independente, seguindo a tendência de outras grandes empresas ao adquirir novas marcas.

Através do Tumblr, agências e marcas poderão criar conteúdos e páginas personalizadas com maior liberdade de formato dentro do Yahoo.

 

Revolução no Yahoo Mail

O Yahoo Mail teve seu design totalmente reformulado desde que Marissa chegou para comandar a companhia: passou a ter 1Tb de espaço de armazenamento.

O novo e-mail não está restrito à web. A empresa fez significativas atualizações para os apps de iOS, Android e Windows 8. O visual ficou parecido com o de seu maior rival, o Gmail, com a vantagem de ter mais espaço para guardar arquivos.

 

De olho nos smartphones

Marissa tem se concentrado nas plataformas para smartphones. Durante a CES, feira de tecnologia realizada em Las Vegas, nos Estados Unidos, no início de 2014, a executiva falou sobre uma de suas aquisições, a Aviate, que faz um aplicativo muito simples: modifica a tela principal do Android de acordo com as aplicações usadas com mais frequência.

“Queremos fazer o que amamos, aproveitar o poder da web e entregá-la como uma experiência resumida, como a que se encontra em uma revista bonita e elegante. Não é nenhum segredo que o celular é o presente e continua crescendo. Não é apenas uma questão de proliferação, mas também de tempo dedicado a ele. A previsão do tempo, os e-mails, as finanças, as notícias… estão em nossos hábitos. Com a Aviate, queremos que a tela principal de cada celular seja mais inteligente e personalizada”, disse Marissa.

 

 

 

Empresa quer brigar com o Netflix

A executiva também pretende expandir as fronteiras da empresa e chegar ao mercado das séries. A companhia anunciou duas produções originais online, outra revista digital e uma série de shows via streaming, que foi adicionada ao seu crescente lineup.

Dois seriados de comédia serão lançados no Yahoo Screen, portal de vídeos da empresa, com episódios de 30 minutos que poderão ser vistos tanto no desktop quanto no app móvel do Yahoo Screen.

As séries foram criadas por escritores e diretores experientes. As temporadas agregariam 10 episódios ao todo, sendo que cada um tem orçamento estimado entre US$ 700 mil e US$ 1 milhão.

 

Investimento em comunicação e vídeos

As mudanças da empresa também atingiram o setor de comunicação. O Yahoo já divulgou suas novas plataformas de publicidade, que devem chegar ao Brasil em breve. A primeira delas é o design apelidado de Maganize, que tem como objetivo agregar o conteúdo publicitário e editorial em um formato integrado, semelhante a uma revista digital.

Nesse design, o formato publicitário é visualmente mais atraente do que os tradicionais, como banners, além de estar integrado de maneira nativa ao conteúdo editorial.

Nas páginas, os conteúdos publicitário e editorial se misturam numa sequência de "tiles", que podem envolver texto, fotos, GIFs e vídeos.

A companhia ainda deve investir mais no Brasil em conteúdos de vídeo, com apostas em produções nacionais para o Yahoo Originals, plataforma de vídeos já muito desenvolvida em outros países.

Outra aposta é o streaming de shows ao vivo em parceria com a Live Nation. A ideia é ter um show por dia ao vivo na plataforma, além de conteúdo de backstage, a partir do final de julho.

Ao estimular o setor de vídeos, a expectativa é tentar criar uma alternativa de monetização para produtores de conteúdo ao YouTube.