rp_encurtar-url_2014-09-10.jpg

Quatro sites para encurtar seus links

Serviço obrigatório para quem usa redes sociais, encurtar links também esconde riscos de segurança

Encurtador de URL é um serviço quase que obrigatório para quem usa redes sociais. Com ele é possível diminuir o tamanho dos links liberando espaço para texto – lembre-se dos 140 caracteres do Twitter-, além de serem mais fáceis de memorizar. Confira uma lista dos principais encurtadores da internet e saiba como se prevenir de links maliciosos.

O objetivo não é gongar nem diminuir sua diversão, mas evitar que você seja direcionado para algum endereço desonesto. Com estas dicas da PSafe Tecnologia, você vai escolher os melhores endereços para criar links reduzidos e bombar no Twitter e ainda vai saber como ficar de fora dessa turma novata que ainda cai nessas armadilhas.

Bit.ly

Com um dos encurtadores mais utilizados da internet é possível criar links customizados, inclusive modificando manualmente os caracteres do final da URL. Além disso, é possível acompanhar as estatísticas de quantas vezes o seu link foi clicado, assim como agrupá-los de acordo com o assunto.

Goo.gl

Encurtador oficial do Google, assim como o Bit.ly é possível acompanhar as estatísticas, mas com muito mais detalhes. Além da quantidade de cliques, ele mostra os países, o browser e até mesmo a plataforma no qual o link foi acessado. De quebra, ainda cria automaticamente um QR-Code da URL encurtada.

Migre.me

Apesar de ter um site um pouco confuso, ainda é bastante usado por aqui. Além de encurtar a URL, o Migre.me dá a opção de fazer o direcionamento do link para uma página de confirmação, e manter um ranking com os endereços encurtados mais acessados do Twitter. É um dos únicos que mantém um formulário de denúncia para links suspeitos.

TinyURL

Um dos encurtadores pioneiros da internet e um dos mais simples, mas, mesmo assim, bastante útil.

Entenda os perigos por trás de URL curtas

É muito comum crackers utilizarem os links encurtados para praticar crimes virtuais. Como não dá para saber a procedência e nem ter a confirmação de que o link é de uma página oficial, eles são usados para levar a sites fakes com a finalidade de roubar informações sigilosas.

Em 2009, clientes da TAM foram vítimas deste tipo de ataque. Após vazar dados de contato, os usuários começaram a receber por e-mail um link encurtado que direcionava a um site que não fazia parte das páginas administradas pela empresa.

Confirme a procedência do link

Se desconfiar de um link, utilize um serviço que faça o inverso, ou seja, expanda o link encurtado. Alguns são muitos bons como o Knowurl.com, onde, além de ver o link original por completo, pode-se obter outras informações como procedência e se a página foi usada para disseminar malwares.

E, claro, mantenha os cuidados básicos, tenha um bom antivírus instalado; desconfie se começar a receber links encurtados de lojas e bancos, principalmente os que levem a páginas para inserir dados bancários; evite clicar em links enviados por pessoas desconhecidas; parece bobo, mas nunca é demais reforçar.