Apps: como eles influenciam cada vez mais nossas relações

Mudanças vão além dos hábitos de consumo e inspiram transformações até nas relações sociais

É impressionante, mas poucas coisas mudaram tanto a vida em sociedade quanto os avanços tecnológicos. Especialmente nas últimas décadas, marcadas por transformações em velocidade recorde, nossa relação com as coisas e as pessoas foi afetada de maneira irreversível. Quem diria, por exemplo, que os celulares se tornariam o que são hoje?

Muitas das consequências dessa “tecnologização” da vida são positivas. Comodidade, facilidade de comunicação e multiplicação das vozes são bons exemplos. Outros, como o esfriamento das relações, nem tanto. Ganhamos o poder de consumir com mais consciência, exigir direitos e conhecer novas pessoas e histórias. Hoje, basta um celular na mão para ter o mundo ao seu alcance — e nada mais justo que admitir que esse novo contexto acaba ajudando a mudar as nossas relações.

Afinal, quem é você?

Graças à tecnologia, nos tornamos mais críticos tanto com as empresas e os serviços que consumimos quanto com as pessoas com quem nos relacionamos — e os apps, que povoam nossos telefones em número cada vez maior, são alguns dos principais protagonistas dessa tendência. Quer um exemplo?

Nos Estados Unidos, o Tinder acaba de criar uma ferramenta que permite aos usuários mostrarem com quem se identificam na corrida eleitoral para presidente, que acontece agora no país. Basta responder a uma sequência de perguntas sobre temas políticos e sociais, e o app vai mostrar com que candidato você deu match. A informação, que passa a fazer parte do perfil, se transforma em mais um critério de afinidade, permitindo que pessoas com gostos e ideologias muito específicas se encontrem e se relacionem.

Para o bem ou para o mal, os apps e a tecnologia estão nos levando para uma realidade cada vez mais segmentada. Você percebe essa mudança? Queremos saber a sua opinião. Conte pra gente aqui embaixo, nos comentários!