EUA tem dificuldade para aderir aos cartão com chip

Você lembra como era ter que assinar o comprovante do cartão e precisar guardar o papel dado pela loja? Distante, não?! Pois nos EUA é comum. Veja!

Devido à hiperinflação o Brasil criou formas de lidar com um momento em que o dinheiro desvalorizava em questão de horas. Apesar de ser um país subdesenvolvido, nossa estrutura está à frente dos países desenvolvidos.

Os americanos estão tentando implantar a nossa máquina de cartão com chip, mas não tem sido fácil. A necessidade dessa tecnologia é para diminuir o risco com roubo e fraude. No entanto, nos EUA os pequenos comerciantes não estão conectados como no Brasil.

A grande questão é que o comum para nós virou regra lá, e eles têm até 1º de outubro para passar a usar ou terão que arcar com a responsabilidade em casos de roubo e fraude. De acordo com o Washington Post, 28,37% desconhecem essa regra; 16,39% nunca tiveram contato com um cartão com chip; 12,11% não gostaram do que acontece com quem não atualiza e 2,9% acha caro. Apesar das perspectivas não serem boas, algumas empresas estão dando as máquinas para facilitar a transição.

As operadoras de cartão de crédito e débito que atuam no Brasil contam com uma operação impressionante, além da tecnologia antifraude. Já é possível encontrar máquinas de cartão em diversos locais do pais, até nos mais afastados. Inclusive, a tecnologia não se restringe à lojistas, alcançando inclusive o camelô. Se houver uma conexão telefônica celular pode-se trabalhar com essa tecnologia.

Inclusive, estão sendo criadas máquinas mais baratas que as convencionais, incentivando o uso por parte de pequenos negociantes. E quem, hoje, não gosta de comprar com o cartão? Não importa se é débito ou crédito, a facilidade de digitar alguns números e sair com o desejado é inquestionável. Além disso tudo, também tem o fato do Brasil ter tido uma rápida aderência às máquinas com chip.

Para você que está conectado, veja como proteger o cartão de crédito de fraudes.