header_PT_0901_milhoes_caem_novo_golpe_whatsapp

Golpe no WhatsApp promete mostrar quem te adicionou

260 mil já caíram na promessa de nova função; saiba como se proteger

O Whatsapp segue na mira dos hackers. Dessa vez, o mais novo golpe promete mostrar quem adicionou seu número no aplicativo. Até agora, a PSafe identificou que mais de 260 mil usuários de celulares Android já caíram na armadilha só nos primeiros quatro dias do ano.

Como funciona
O golpe indica a possibilidade de ativar uma nova função do WhatsApp para que o usuário possa  visualizar as pessoas que te adicionaram. Mas, para ter acesso à função, o usuário deve compartilhar o link com a fraude com dez amigos e cinco grupos diferentes, disseminando-o para mais pessoas.

Depois, o usuário é direcionado a uma página que induz a instalação de outros aplicativos, que não necessariamente contêm vírus, mas que gera dinheiro para o hacker a cada download feito.

O que acontece nesses casos é que fabricantes conseguem identificar, através de um código, quem “levou” o usuário a baixar o seu app e pagam esta pessoa por isso, pois não dá para identificar se essa pessoa se trata de um hacker.

Para ficar protegido de golpes como esse,  a equipe de Segurança da PSafe listou uma série de dicas para manter seu celular sempre protegido.

Instale e mantenha um Antivírus atualizado: Ter um antivírus instalado no celular é fundamental para se prevenir das ameaças existentes no mundo virtual.

Com o PSafe Total, por exemplo, você ganha uma barreira de proteção. Você poderá checar se a rede wi-fi que está acessando é segura ou não e ainda ser alertado se acessar sites maliciosos ou baixar aplicativos infectados.

BOTAO_PT_1611
Evite clicar em links vindos por mensagens: Nos últimos meses, muitas tentativas de infecção ocorreram via links maliciosos enviados por amigos no WhatsApp, como esse golpe. Portanto, evite clicar em links recebidos por serviços de mensagem ou e-mails sem se certificar de que ele é verdadeiro.

Utilize apenas redes protegidas com senha: Redes Wi-Fi que não pedem senhas são mais arriscadas – porque permitem acesso mais fácil aos hackers – e, por isso, é aconselhável utilizar apenas redes com senhas.