Índia: grupos de WhatsApp só com a permissão do governo

A medida foi tomada para evitar organização de protestos da população em estado do continente.

O WhatsApp e o Facebook, empresa que também é dona do app, vivem se metendo em confusão. Não é de hoje que as duas lutam na justiça pela privacidade dos usuários e até desobedecem mandatos para não revelarem mensagens secretas de quem baixa os apps. Como se já não bastassem os envolvimentos com a polícia, o WhatsApp agora enfrenta outro problema: o governo de um estado da Índia.

A cidade de Kupwara tem menos de 20 mil habitantes, mas já está conhecida pelos 7 bilhões de pessoas do mundo. Tudo isso devido ao novo caso polêmico no município. O governo proibiu que seus cidadãos criem grupos no WhatsApp.

Leia mais: Facebook e WhatsApp aumentam a privacidade dos usuários.

A medida foi tomada para evitar protestos organizados pela população através do app. Uma indiana denunciou um soldado da cidade por abuso sexual, o que gerou uma mobilização imensa e a proibição mencionada na circular abaixo. O estado chegou a bloquear a internet mobile dos moradores por 6 dias.

Quem consegue permissão dos governantes pode criar os grupos, mas terá seu conteúdo monitorado por chefes do estado e estará sob vigilância constante das autoridades da cidade.