Intel Curie transforma roupas em smarthing

Veja como o processador criado pela Intel transforma roupas em objetos inteligentes e começa a fazer você repensar os wearables.

O processador criado pela Intel e anunciado em janeiro finalmente ganhou uma aplicação prática. O Curie foi desenvolvido para ser utilizado em wearables e teve sua primeira aplicação anunciada este mês. Trata-se de uma coleção de roupas primavera/verão criada pelo Chromat, um estúdio de moda experimental.

Entre os modelos está um sutiã de ginástica nomeado de Chromat Aeros Sports que detecta o aumento da temperatura corporal e a presença de suor. Tudo isso graças a tecnologia do chip Curie, inventado pela Intel.

Você deve estar se perguntando o que ele faz com esses dados. Pois bem, o Curie aciona inúmeras aberturas na roupa que pretendem aumentar a ventilação, ajudando a refrigerar o corpo. Útil, não?

Também foi desenhado um vestido, mas esse é mais experimental que funcional.  O processador da Intel é utilizado para detectar o aumento da adrenalina e a partir daí acionar mecanismos que integram a peça. O Chromat Adrenaline Dress é impresso em 3D e feito de fibra de carbono, de forma que ele possa se expandir ao receber o comando do Curie.

Intel Curie

Apesar de ser muito pequeno, do tamanho de uma unha, ele conta com um processador, Bluetooth, 384 KB de espaço para dados, além de sensor espacial de seis eixos que funciona em conjunto com um acelerômetro e um giroscópio.

Além das roupas, a Intel deseja que o chip seja usado em outros equipamentos para uma infinidade de aplicações. Apesar da primeira ideia ter demorado meses para ser anunciada, ficamos no aguardo das próximas aplicações para o Curie.