rp_mais-celular-que-gente_2014-06-11.jpg

Quantidade de celulares no mundo será maior que a de pessoas em 2015

Os resultados obtidos pela Ericsson revelam que no ano que vem o número de celulares e smartphones irá superar o número de habitantes no mundo.

O recente relatório do “Mobility Report”, da Ericson, informou que o número de linhas telefônicas de celular vai superar o da população mundial no ano que vem. A pesquisa vai além: diz que, até o final de 2019, o mundo terá cerca de 7,6 bilhões de assinaturas banda larga, o que pode gerar uma explosão do tráfego de dados.

De acordo com o estudo, 65% destas linhas serão de smartphones. A expectativa é que os telefones inteligentes superem os comuns ainda em 2016. O relatório traz a Europa como a região com maior presença na plataforma móvel no mundo. Além disso, 62% dos alemães usam tablets, computadores portáteis ou smartphone para ver televisão ou vídeo.

O hábito é comum na Europa Ocidental, com destaque para a Suécia. Na França, um de cada quatro entrevistados assiste a vídeos em um telefone inteligente por mais de três horas semanais. Já na Itália e na Espanha, os consumidores de vídeo em smartphones fazem isso por mais de quatro horas semanais.

Mundo terá mais celular que gente

A pesquisa mostra também que as linhas de celular aumentam a um ritmo de 7% a cada ano e que as assinaturas de banda larga móvel representam mais de 80% do total da escala mundial. Espera-se que na Europa a cobertura LTE/4G seja de 80%, e o número de assinaturas com essa tecnologia de 30%, contra 85% nos Estados Unidos. Além disso, o tráfego móvel na Europa deve superar, em 2019, cerca de oito vezes o de 2013.

O uso cada vez mais intenso dos celulares exige a instalação de programa de segurança para garantir privacidade e oferecer proteção digital a usuários. Com o PSafe Total Android, você ainda conta com uma gama de serviços de otimização e performance do celular, incluindo monitoramento e melhor uso da banda 3G e 4G dos aparelhos, sistema anti-furto, sistema de bloqueio de spam, entre outros.

De acordo com a União Internacional de Telecomunicações (UIT), órgão ligado à ONU, os países em desenvolvimento puxam o aumento do número de linhas, registrando em média o dobro da quantidade em uso nas nações desenvolvidas. Os dados apontam que o mercado de celulares pode estar próximo do nível de saturação.

Na América, o número de internautas passará da metade da população até o final do ano, com cerca de 66% dos habitantes da região online. Na Europa, o número vai chegar a 75%, enquanto na região Ásia-Pacífico será de 45%. Na África, somente 20% dos habitantes estarão conectados à rede mundial, mostrando em números que o continente é o mais atrasado na área tecnológica.