rp_virus-origem-internet_2015-02-12-14-37-16.jpg

Tudo sobre vírus: origem, história e prejuízos

Conheça mais sobre os vírus nesta lista, que o Blog da PSafe apresenta para você tomar cuidado e ficar de olho nesses malwares.

A internet revolucionou o mundo e hoje não é mais possível viver sem ela. Mas a grande rede tem vilões que tiram o sono de muita gente: os vírus. Eles evoluíram desde suas origens, a níveis de sofisticação e de destruição. Os vírus também adaptaram seus objetivos e sua capacidade de infectar de forma perfeita os computadores.

O vírus mais antigo que se tem conhecimento vem de 1971, mas chegou a ser generalizado durante os anos 1980, quando os computadores pessoais se tornaram acessíveis nos países mais desenvolvidos. A popularização das máquinas pessoais permitiu que os vírus se propagassem muito mais rápido, particularmente tendo a vantagem daqueles que não sabiam muito a respeito da nova tecnologia.

O primeiro grande passo de vírus baseado na internet foram os que se propagam através de e-mails. O modo mais presente de infecção não mudou quase nada ao que é utilizado hoje, onde um documento infectado, um DOC, por exemplo, é anexado a uma mensagem que tem forte apelo para que seja baixado. Uma vez que o usuário faça o download, o vírus usa o computador infectado para replicar e estender-se o máximo possível. No ano 2000, os vírus como Melissa e ILOVEYOU causaram estragos importantes usando este método.

O surgimento de worms, uma forma de malware ou software infectado que é propagado através de redes da internet, foi o passo seguinte no desenvolvimento de vírus. Usando os buracos em sistemas operacionais ou softwares, os worms exploram estas debilidades e se replicam movimentando-se de máquina para máquina através da rede. Criam uma porta traseira em qualquer computador que encontram no seu caminho, permitindo que mais softwares prejudiciais entrem no computador depois.

Desse modo, até parece que os worms são incontroláveis, mas saiba que as defesas contra eles melhoraram nos últimos anos já que os antivírus se tornaram mais sofisticados.

Mas, antes de você conhecer os vírus que assustam o mundo da informática, é preciso destacar a forma de cada um deles.

Adware

Adware é qualquer programa que executa automaticamente e exibe uma grande quantidade de anúncios (ad = anúncio, software = programa) sem a permissão do usuário.

Backdoor (Porta dos Fundos)

Backdoor é um recurso utilizado por diversos malwares para garantir acesso remoto ao sistema ou à rede infectada, explorando falhas críticas não documentadas existentes em programas instalados, softwares desatualizados e do firewall para abrir portas do roteador.

Browser Hijacker (sequestro do navegador)

Browser Hijacker é um tipo de vírus que tem por objetivo a alteração das principais configurações do navegador. Quando instalado, altera a homepage e os mecanismos de busca. Exibem anúncios em sites legítimos e redirecionam a vítima para sites maliciosos que podem conter exploits ou outras pragas digitais.

Cavalo de Troia (Trojan Horse)

Conhecidos por normalmente responder pelo primeiro estágio de infecção de dispositivos digitais, os Cavalos de Troia têm como objetivo manter-se ocultos enquanto baixam e instalam ameaças mais robustas em computadores e laptops. Podendo vir em arquivos de música, mensagens de e-mail, escondidos em downloads e sites maliciosos, se aproveitam de vulnerabilidades do navegador utilizado para instalar a praga no computador.

Rogue Security Software

Rogueware é um vampiro que busca sugar suas informações confidenciais para roubar dinheiro. Estes softwares maliciosos se passam por programas de segurança (como antivírus ou antispywares) e de otimização, e são abertos sem a interferência do usuário, exibindo resultados de uma varredura por vírus, que mostram a detecção de diversas infecções – que na verdade não existem, ou de diversas otimizações disponíveis para “turbinar” o computador.

Rootkit

Rootkit são trojans que utilizam métodos avançados de programação para serem instalados em camadas profundas ou não documentadas do sistema operacional.  Seus aspectos mais devastadores são sua capacidade de se autorrecuperar, reinstalando-se mesmo após limpeza do computador e sua rápida disseminação.

Spyware

Os spywares são programas espiões utilizados para captar informações sobre os costumes dos usuários na internet, com o propósito de distribuir propaganda “customizada”.

Time Bomb

Time Bomb é um malware de contagem regressiva. Uma ameaça programada para ser executada em um determinado momento no sistema operacional, causando-lhe danos.

Worm (verme)

Os worms podem se autorreplicar sem a necessidade de infectar arquivos legítimos, criando cópias funcionais de si mesmos. Essas características permitem que os worms se espalhem por redes de computadores e drives USB. Também podem ser distribuídos por mensagens de e-mail, criando anexos maliciosos e os enviando para as listas de contato da conta invadida.

Greyware

Semelhante ao malware, situa-se na chamada zona cinzenta, entre o software normal e um vírus, causando mais irritação que problemas, como programas de piada e adware. Greyware refere-se a uma ampla gama de programas que são instalados sem o consentimento do usuário e rodam em seus computadores.

Joke Program

Joke programs são programas ou códigos criados para causar danos temporários ao sistema operacional, como travamentos e mudanças inesperadas de comportamento. Os códigos dessa categoria não causam nenhum dano real ao computador.

Keylogger

Os keyloggers são programas de computador capazes de monitorar, armazenar e enviar todas as teclas digitadas pela vítima para um cracker. Atualmente, os keyloggers são incorporados em outros códigos maliciosos como trojans, para o roubo de logins ou dados bancários.

Macros

Os Macros são uma série de comandos automatizados que podem ser configurados em softwares como Word e Excel. Dessa forma, muitos documentos com instruções maliciosas podem ser criados, infectando outros arquivos ou executando ações prejudiciais toda vez que eles forem executados. Em sua grande maioria, a ação é realizada ao abrir ou fechar um documento dessa extensão.

Ransonware

Os Ransomwares são códigos maliciosos que sequestram arquivos ou todo o sistema da vítima por meio de técnicas de criptografia. Após o “sequestro”, o malware exibe mensagens exigindo o depósito de uma quantia em dinheiro, ou a compra de um determinado produto, prometendo o envio de senha que irá liberar os arquivos. Porém, mesmo após o pagamento, a vítima não recebe senha alguma.

Trojan Banking

É o trojan caracterizado pelo roubo de dados bancários, de sites de compras, redes sociais e servidores de e-mail. As técnicas são as mesmas de um trojan comum, sendo distribuído como um programa ou arquivo legítimo, em sites infectados ou mensagens de e-mail.

Vírus Stealth

Vírus Stealth são malwares que utilizam técnicas de programação para evitar a detecção por ferramentas de segurança. A maioria utiliza métodos de criptografia, embaralhando o código para que o antivírus não o reconheça como malicioso.

Ficha técnica dos vírus mais destrutivos da história

Considerados os maiores vilões da história da informática, ao longo do tempo os vírus foram sofrendo mutações e se tornaram cada vez mais agressivos e temidos pelos usuários de computador.

Os vírus começaram a ser difundidos por motivos diversos, principalmente pelo aumento do número de usuários de PCs e o interesse em baixar novos jogos a partir de programas de autorreplicação. Neste cenário, é que dois irmãos criaram o primeiro vírus de computador. O vírus de boot que infectava o setor de inicialização do disco rígido e sua propagação era feita por meio de disquete.

Morris

Ano de lançamento: 1988

Categoria: Worm

Criador: Robert Morris

Prejuízo causado: entre US$ 10 e US$ 100 milhões

Curiosidades: a história conta que o vírus foi criado por Robert Morris, em 1988, e que foi desenvolvido sem a intenção de cometer crimes cibernéticos. Na verdade, Morris tentava medir o tamanho da internet. A partir de uma falha nos códigos do software, milhões de computadores, até os da NASA, foram infectados, paralisando todos os recursos da rede ao redor do mundo.

Melissa

Ano de lançamento: 1999

Categoria: Vírus

Criador: David L. Smith

Prejuízo causado: US$ 1 bilhão

Curiosidades: em 1999, David L. Smith criou o Melissa. O vírus foi enviado por e-mail e tinha a capacidade de se multiplicar em arquivos de Word, Excel e Outlook. Por onde o Melissa passava, desligava todos os sistemas de e-mails, causando sobrecarga nos servidores da internet.

Eu te amo (I Love you)

Ano de lançamento: 2000

Categoria: Vírus

Criador: Estima-se que alguém das Filipinas, mas nada foi confirmado até hoje

Prejuízo estimado: entre US$ 6 e US$ 9 bilhões

Curiosidades: nada romântico, um programador de Manila, capital das Filipinas, criou o vírus ‘Eu te amo’, em 2000. Este foi um mais problemáticos espalhados ao redor do mundo. Os usuários recebiam um e-mail nomeado ‘Eu te amo’. Além de pessoas comuns, diversos órgãos do governo foram atacados, inclusive a CIA. Foi preciso deixar de usar seu sistema de e-mails para deter a proliferação.

Code Red

Ano de lançamento: 2001

Categoria: Worm

Criador: Acredita-se que tenha aparecido na China

Prejuízo causado: US$ 3 bilhões

Curiosidades: este vírus ganhou nome quando pesquisadores da eEye Digital o descobriram. Na ocasião, estavam tomando uma bebida chamada Code Red Mountain Dew. O Code Red infectava sistemas que rodavam o software de servidores e deixava a seguinte mensagem: “Hacked by Chinese!”.

CIH

Ano de lançamento: 1998

Categoria: Vírus

Criador: Chen Ing Hau

Prejuízo causado: US$ 20 a 80 milhões

Curiosidades: o vírus também ficou conhecido como Chernobyl.  Considerado o mais devastador do que outros vírus, o CIH era capaz de deletar dados do computador infectado e, em alguns casos, causando a perda total da máquina.

Slammer

Ano de lançamento: 2003

Categoria: Worm

Criador: Desconhecido

Prejuízo causado: Desconhecido.

Curiosidades: este vírus deixou a Coreia do Sul sem internet por 12 horas. O Slammer aproveitava a fragilidade no Microsoft SQL Server para infectar, tornando os computadores inoperantes.

Blaster

Ano de lançamento: 2003

Categoria: Worm

Criador: Xfocus, grupo hacker chinês

Prejuízo: entre US$ 2 a US$ 10 bilhões

Curiosidades: foi criado com o propósito de atacar os sistemas Windows da Microsoft. Por onde passava deixava a seguinte mensagem: “Bill Gates, why do you make this possible? Stop making money and fix your software!!”, ou em tradução ao pé da letra,  “Bill Gates, por que você fez isso ser ‘possível’? Pare de fazer dinheiro e corrija seu software!”.

Sasser

Ano de lançamento: 2004

Categoria: Worm

Criador: Sven Jaschan

Prejuízo: US$ 10 milhões

Curiosidades: o vírus ataca computadores com o sistema operacional Windows. Ficou famoso também por ter sido responsável pelo cancelamento do voo da Delta Airlines, interromper serviços de mapas da Guarda Costeira da Inglaterra e cortar a comunicação por satélite da agência de notícias France-Press.

Nimda

Ano de lançamento: 2001

Categoria: Worm

Criador: Desconhecido

Prejuízo causado: Entre US$ 5 e US$ 10 bilhões

Curiosidades: o Nimda utilizava diferentes meios para se propagar. O resultado era uma grande lentidão na internet. O Nimda foi considerado o worm mais rápido da história, levando apenas 22 minutos para estar na internet e se espalhar rapidamente pelo mundo. O nome Nimda vem da palavra “admin”, fazendo menção aos administradores de servidores que o vírus desafiava.

Flame

Ano de lançamento: 2012

Categoria: Worm

Criador: Desconhecido

Prejuízo causado: Entre US$ 10 e US$ 15 bilhões

Curiosidades: o Flame, também conhecido como Flamer, SkyWIper e Skywiper, é um vírus criado em 2012. Ele ataca computadores que operam com o Windows e tem sido utilizado para espionagem cibernética no Oriente Médio.  Ele é capaz de gravar áudios, capturar telas, acionar teclado e o tráfego de rede, além de poder controlar dispositivos de transferência de dados como bluetooth. Todas as informações coletadas no computador invadido são enviadas a vários servidores espalhados pelo mundo.

Stuxnet

Ano de lançamento: 2010

Categoria: Worm

Criador: Acredita-se que tenha sido criado pelo governo dos Estados Unidos

Prejuízo causado: Desconhecido

Curiosidades: o Stuxnet foi o primeiro worm de computador a incluir um rootkit de CLP.5. Também é o primeiro worm conhecido a ter como alvo a infraestrutura industrial crítica. Segundo o jornal “The New York Times”, ele pode ter sido o primeiro grande ataque militar cibernético da história. Entre 2010 e 2011, o Stuxnet infectou os sistemas de operação de uma usina de enriquecimento de urânio localizada em Natanz, no Irã. Foram inutilizadas no ataque cerca de 1 mil das 5 mil centrífugas em operação.

A ciberofensiva americana, batizada de Olympic Games, ou “Jogos Olímpicos” em português, teria sido iniciada na gestão do presidente George W. Bush e reforçada por Barack Obama.

Computador pode ser infectado mesmo sem estar conectado

Muitos usuários acreditam que ao ficar offline estão livres de pragas digitais. Este mito está cada vez mais caindo por terra. Pesquisadores da Universidade Ben Gurion, em Israel, desenvolveram um malware capaz de roubar e transferir informações de máquinas que não estejam conectadas à internet.

O vírus, conhecido como AirHopper, é instalado em um máquina por um pendrive ou HD externo. O malware utiliza a placa de vídeo do computador para enviar sinais, utilizando a radiação eletromagnética. Com o software adequado, as informações podem ser captadas e interpretadas por smartphone a até sete metros de distância.

Também utilizando os sinais de rádio emitidos pelas placas de vídeo, o vírus pode infectar outras máquinas em uma sala, por exemplo.

O malware é potencialmente prejudicial para grandes empresas que possuem informações sigilosas. Da mesma forma como o Stuxnet, o AirHopper pode ser utilizado para espionar segredos industriais.

Por isso, é fundamental manter seu computador e dispositivos móveis sempre protegidos. O antivírus PSafe Total, além de ser grátis, ainda fornece toda a segurança que sua máquina necessita.

O mesmo vale para tablets e smartphones. O PSafe Total Android protege seus aparelhos contra invasões e ainda lhe dá opções de privacidade que já conquistaram os usuários.