golpe no whatsapp

As armadilhas que chegam pelo seu WhatsApp. E como não cair nelas

Aplicativo é alvo frequente de cibercriminosos. Saiba o que fazer para se proteger

Com 900 milhões de usuários ativos, o WhatsApp é um alvo recorrente dos cibercriminosos. Nessa semana, mais um golpe foi identificado no aplicativo de mensagens instantâneas. De acordo com a empresa de segurança Kaspersky Lab, o usuário recebe uma mensagem através de algum contato da sua lista convidando-o a utilizar o recurso de chamada em vídeo, ainda inexistente no aplicativo.

A partir daí, a pessoa clica no link que vem com a mensagem falsa e, em seguida, preenche suas informações para ter acesso ao recurso. E nesse momento que os criminosos se tornam capazes de roubar os dados pessoais da vítima e ainda instalar um vírus no smartphone.

golpe usa videochamada no whatsapp

Esse tipo de abordagem é chamado de scareware, que usa artifícios como a camuflagem de software em uma mensagem de suposta atualização de sistema.

Leia também: O que é e para que serve a Proteção Avançada de PSafe Total

Mais golpes
Nos últimos meses, os usuários de WhatsApp foram bombardeados por situações de risco, como a campanha enviada por mensagem oferecendo novos emoticons. Uma vez feito o download, os cibercriminosos passavam a ter acesso a dados pessoais do usuário.

Outra ação criminosa muito comum no aplicativo é a oferta de descontos. Nesse tipo de golpe, os hackers atraem as vítimas com a promessa de cupons de desconto para estabelecimentos como McDonald’s, Starbucks e Zara. Mais uma vez, ao clicar no link indicado, o usuário é induzido a fornecer seus dados pessoais e financeiros, que são usados posteriormente pelos criminosos para fins maliciosos, como spam, phishing ou malware.

Cinco passos para não cair em ciladas no  WhatsApp
#1 Desconfie de links desconhecidos
O WhatsApp roda na maioria dos sistemas operacionais (Android, iOs, Windows Phone, BlackBerry, Nokia), além da versão para computador. Isso significa que muitas pessoas têm acesso ao aplicativo; daí a razão para os recursos de segurança serem tão limitados. Por isso, ao receber um link desconhecido, pergunte para o contato do que se trata e confira a fonte antes de abrí-lo.

#2 Não confie em cupons de promoção
Mesmo que o cupom de desconto seja uma loja conhecida, desconfie. Antes de abrir qualquer link, entre em contato com a central de atendimento da empresa em questão e peça mais informações sobre a “promoção”.

#3 Evite fazer download de conteúdos duvidosos
Muitos malwares atacam o smartphone por meio de vídeos, imagens ou áudios, por isso, todo cuidado é pouco ao baixar esse tipo de arquivo, que, geralmente, aborda temas polêmicos para chamar mais atenção. São temas com apelo sexual, político, com atos violentos e até que tratam de um assunto com alguma exclusividade.

Nesse caso, uma vez que o programa malicioso é instalado no dispositivo, o cibercriminoso poderá ter acesso ao que for digitado ou acessado por você.

#4 Não informe dados bancários ou pessoais em mensagens
A dica básica de segurança do aplicativo é não fornecer dados pessoais ou bancários nas mensagens trocadas. Algum hacker pode interceptar essas informações e atacar sua conta. O alerta vale tanto para a versão web quanto para a instalada no celular.

#5 Instale um bom antivírus
Para garantir a sua segurança digital, além de se prevenir, é importante investir em um antivírus. Aqui na PSafe, a gente oferece o Total Android, que garante proteção absoluta e em tempo real para que o usuário use suas mídias sociais, o internet banking, faça compras, converse e troque arquivos com máxima segurança. Saiba mais aqui.