Golpes usam Coronavírus como isca e atingem mais de 2 milhões de brasileiros

Ataques, que circulam há, pelo menos, 7 dias, usam indevidamente o nome de grandes marcas para atrair vítimas, segundo o dfndr lab

O dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, detectou 19 golpes e 6 aplicativos maliciosos que utilizam o Coronavírus e o período de quarentena para oferecer falsos benefícios para a população. As supostas ofertas contemplam itens como kits de máscaras e álcool em gel, assinaturas grátis em serviços de streaming e até pagamento extra para beneficiários do Bolsa Família. Em 7 dias de circulação, os golpes, juntos, já atingiram mais de 2 milhões de brasileiros e os números de acesso não param de crescer.

Pandemia como tema de ataques

Não é novidade que os cibercriminosos usam períodos específicos, como feriados, grandes eventos ou épocas festivas para criar golpes com temáticas personalizadas. Dessa vez, utilizando a pandemia do Coronavírus como isca, dezenas de ataques estão sendo criados com o objetivo de enganar a população. Segundo Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, grande parte dos links maliciosos têm o objetivo de roubar dados pessoais e financeiros das vítimas ou levá-las à páginas falsas para visualizar publicidades excessivas.

“Para tornar o ataque mais verídico, alguns golpes se aproveitam de ações reais que grandes empresas e o governo estão realizando para enfrentar o Coronavírus, como a doação de álcool em gel e pagamento de benefícios à população. E a tendência é que o número de ataques e de vítimas aumente nos próximos dias, principalmente em decorrência do agravamento da situação do país neste momento de crise”, explica Simoni.

Fake news sobre Coronavírus

Além dos golpes, os cibercriminosos também estão disseminando centenas de fake news sobre a doença na internet. Isso é o que revela uma pesquisa recente realizada pela PSafe, no qual estima-se que 42,5 milhões de brasileiros já receberam ou acessaram fake news sobre Coronavírus. Ainda segundo a pesquisa, o WhatsApp segue como o principal vetor de disseminação de notícias falsas sobre a pandemia, de acordo com 43,2% dos entrevistados.

Leia mais: CORONAVÍRUS: fake news sobre pandemia já atingiu mais de 42,5 milhões de brasileiros

Como se proteger de golpes e fake news

Simoni lista alguns cuidados que os usuários devem ter para evitar cair em golpes e notícias falsas sobre o Coronavírus:

  • Desconfie de informações sensacionalistas e busque fontes confiáveis.
  • Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Antes de compartilhar informações sobre a pandemia, procure em veículos confiáveis e fontes oficiais como o Ministério da Saúde, jornais e sites para confirmar se aquilo é realmente verdadeiro.
  • Na dúvida, é possível verificar se um link é falso no site do dfndr lab. A checagem de links avisa em poucos segundos se uma página pode oferecer alguma característica maliciosa.
  • Utilize soluções de segurança no celular que disponibilizam, de preferência, a função de detecção automática de phishing em aplicativos de mensagem e redes sociais, como o dfndr security. Ele envia alertas de segurança sempre que um usuário receber ou acessar um link falso de golpe ou fake news. Para baixar o dfndr security, é só tocar aqui.

Instale o dfndr security.Instale o dfndr vault.