Como saber se o celular é original pelo IMEI

Bloqueio da Anatel a celulares piratas entra em sua segunda fase. Veja como identificar se seu aparelho é original pelo código IMEI.

A partir do próximo sábado, dia 8, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) inicia a segunda etapa de bloqueios a celulares “piratas”, ou seja, irregulares, em dez estados do Brasil. Até o momento, 103 mil aparelhos celulares piratas já foram bloqueados em todo o país. A identificação dos dispositivos irregulares está sendo feita através do código IMEI, um número único que identifica celulares globalmente. Quer verificar se seu aparelho pode ser bloqueado pela Anatel? Confira as orientações dos especialistas do laboratório de cibersegurança dfndr lab que ensinam como saber se o celular é original pelo IMEI.

Como descobrir meu IMEI?

De acordo com os especialistas do dfndr lab, o IMEI é um código composto por quatro grupos de números (000000-00-000000-0) e não existem dois códigos IMEI iguais em todo o mundo. O IMEI equivale ao número de um CPF e é um código que deve ser mantido em sigilo. Para encontrar seu IMEI, você pode utilizar uma das maneiras a seguir:

1) Buscar no Menu de Configurações do telefone;
2) Procurar na parte traseira do aparelho ou sob a bateria;
3) Digitar o número *#06# no teclado de chamadas;
4) Conferir na nota fiscal de compra ou na caixa do aparelho.

Leia mais: Veja como impedir que bandidos desbloqueiem sua tela

Como saber se o celular é original pelo IMEI?

A Anatel disponibiliza em seu site oficial uma seção em que os usuários podem verificar a situação de seus aparelhos. Utilizando o número IMEI, qualquer usuário pode consultar se há algum registro de irregularidade no celular que possui ou que deseja comprar. Lembrando que se o aparelho possui duas entradas para chips de operadoras, isso quer dizer que ele tem dois códigos IMEI e você deve checar ambos para ter certeza que seu celular é original e não há nenhuma irregularidade nos registros a Anatel.

Como está sendo feito o bloqueio

Os usuários de celulares irregulares com DDDs do estados do Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e Tocantins estão sendo notificados, desde setembro, por suas operadoras. No dia 7 de dezembro de 2018, aqueles que terão seu aparelho bloqueado pela Anatel, receberão novo aviso.

De acordo com a Anatel, serão bloqueados celulares com IMEI alterado ou irregular, incluindo aparelhos roubados, clonados ou adulterados, além dos não homologados pela Anatel, por isso é recomendável buscar lojas confiáveis para comprar seus aparelhos e sempre pedir a nota fiscal de compra antes de adquirir um celular de segunda mão.

Meu celular é pirata, e agora?

A Anatel indica que consumidores procurem os locais onde compraram os celulares para buscar compensação. Além disso, o consumidor pode ainda buscar a fabricante do aparelho e solicitar uma análise de possível adulteração de celular. De toda forma, uma vez que o aparelho tenha sido bloqueado pela Anatel devido a uma dessas irregularidades, o processo é irreversível: será preciso comprar um novo celular.

Cuidados para não comprar um celular pirata

Frank Vieira, especialista em privacidade do laboratório de cibersegurança dfndr lab, lista alguns dos cuidados necessários para se prevenir no momento da compra de um novo celular:

– Escolha lojas reconhecidas quando fizer a compra de um celular;
– Sempre peça a nota fiscal do produto e, em caso de compra de celulares usados, verifique se o número IMEI está regular no site da Anatel antes de fechar negócio;
– Procure pelo selo da Anatel nos aparelhos que adquirir no Brasil;
– Quando comprar um aparelho fora do Brasil, procure por fabricantes legítimos. A Anatel aceita certificados internacionais, ainda que sejam de marcas não comercializadas aqui.

Número de furtos cresce cada vez mais no Brasil

De acordo com a Anatel, o número de aparelhos impedidos de funcionar no Brasil, devido a registros de roubo ou perda, foi de 1,5 milhão em 2017. Com a iniciativa de bloquear aparelhos irregulares, o órgão inicia um combate efetivo à pirataria e ilegalidade da revenda de celulares roubados e furtados.
O especialista de privacidade do dfndr lab alerta para os perigos do celular ser roubado e cair em mãos erradas. “É comum que os apps armazenados no celular, principalmente de redes sociais, contenham informações confidenciais, dados pessoais, como endereço e número de cartão do banco, além de fotos privadas. Dessa forma, além do bloqueio do IMEI junto a operadora, é fundamental que o usuário tome medidas para impedir o acesso de intrusos – e até de curiosos aos seus dados”, explica Vieira.

A recomendação do especialista é o uso de aplicativos com função de Antifurto, que permitem bloquear acesso ao aparelho e apagar dados a distância. O dfndr security, antivírus gratuito para Android, permite que você localize seu dispositivo e o controle remotamente, dando alternativas como disparar um alarme para encontrar o celular perdido, mesmo que ele esteja em modo silencioso, e até mesmo possa tirar uma foto do suspeito que tenta invadir seu telefone. Essas são informações cruciais que podem ser fornecidas no boletim de ocorrência (B.O.), auxiliando a polícia a reencontrar seu celular perdido. Toque aqui para instalar o dfndr security.

Leia também: Como remover uma conta Google de um celular perdido?

PUBLICIDADE

Proteção em segundos. Instale o dfndr security.